31/08/2017 - SESMT promove ação alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Fumo



Atividade teve como objetivo conscientizar os colaboradores da unidade sobre os riscos e problemas decorrentes do tabagismo

Na última terça-feira, 29 de agosto, Dia Nacional de Combate ao Fumo, celebrado no dia 29 de agosto, o Serviço Especializado de Medicina e Segurança do Trabalho (SESMT) do Hospital Alberto Rassi – HGG realizou ação de conscientização com os colaboradores da unidade sobre os riscos e problemas decorrentes do tabagismo. Durante todo o dia, enfermeiras do SESMT, juntamente com o médico do trabalho, Ubiratan Seixas, percorrerão todos os departamentos e alas do hospital levando informações aos colaboradores.

A técnica de enfermagem Heide Maria Lopes, de 45 anos, fumou por cerca de 10 anos entre os 20 e 30 anos e, na época, não tinha conhecimento de todos os males que o cigarro faz. “Hoje a informação é maior e o acesso aos cuidados. Na época eu parei por iniciativa própria porque eu trabalhava no Araujo Jorge e via os malefícios do cigarro nos pacientes e deixe de fumar por mim mesma”, relembra, elogiando ações de conscientização como esta. “É super interessante e esclarece algumas duvidas que, às vezes, as pessoas não têm com quem tirar e conseguem através desses programas”, destacou.

A enfermeira do trabalho Rejane Araújo, que participou da atividade, falou do objetivo da ação. “Resolvemos fazer esse trabalho para conscientizar os trabalhadores que fumam a buscarem um tratamento para abandonarem o fumo, informando a eles que ele é gratuito e disponibilizado pelo SUS e pode ser realizado em qualquer unidade de saúde”, explicou, ressaltando que, apesar de ser um índice baixo de colaboradores que fumam, a ação também tem o intuito de orientar esses trabalhadores a incentivarem e informarem familiares e conhecidos sobre o tratamento.

Vendo a movimentação enfermeiras do trabalho, a auxiliar administrativa, Lucivaine Maria da Silva, de 34 anos, que acompanhava o pai em um exame, se interessou e pediu um panfleto no intuito de levar para os irmãos fumantes. “Tenho um irmão de 36 e uma irmã de 32 anos que fumam desde os 15 anos. Dizem que sentem falta de ar e cansaço e têm vontade de parar, mas não conseguem, dizem que é difícil”, relata a irmã, admitindo que o vício dos irmãos, além de incomodar, preocupa pela questão da saúde, já que o pai, ex-fumante, hoje sofre com problemas decorrentes do cigarro.





Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS