11/09/2017 - Palestra no AMA tira dúvidas de pacientes sobre a Osteoporose



Perda de massa óssea que acontece durante o envelhecimento do corpo, a osteoporose é uma das principais causas de fraturas e quedas em idosos

Com a mãe que sofre há vários anos com a osteoporose, a cabeleireira Valdeliz Gonçalves, de 54 anos, se preocupa em ter no futuro a doença, já que sabe ser hereditária e por não ingerir leite e derivados, fontes de cálcio, mineral essencial à saúde e à força dos ossos. “Como nunca tomei leite eu fico preocupada porque eu preciso fazer uma prevenção, pois sei que é genético. Eu não quero passar pelo mesmo que minha mãe, que já teve várias quedas e fraturas”, conta.

Assistindo a palestra ‘Como evitar a Osteoporose’, ministrada pela reumatologista Cláudia Maria Rassi nesta quarta-feira, 6 de setembro, no Ambulatório de Medicina Avançada do HGG, Valdeliz soube que há outros alimentos que também são fonte de cálcio, como as folhas e vegetais de cor verde escura, a sardinha, o grão de bico, aveia, chia e linhaça, entre outros. “A palestra esclareceu pra mim que tem outros alimentos além do leite que eu posso usar pra fazer essa prevenção. Gostei muito de assistir”, considerou a cabeleireira.

A especialista explicou ao público presente que a osteoporose é definida como a perda acelerada de massa óssea, processo natural durante o envelhecimento do corpo. Doença silenciosa, ela é uma das principais causas de fraturas e quedas em pessoas idosas, por isso a necessidade de diagnóstico e tratamento. “Depois de uma fratura, muitos idosos deixam de ter uma vida social, ficam acamados e a incidência de óbito aumenta bastante”, pontuou Cláudia.

Três em cada quatro pacientes são mulheres, que também são mais afetadas em decorrência da menopausa devido à queda brusca dos níveis de estrógeno, que interfere na absorção de cálcio. A deficiência do mineral deixa os ossos mais sensíveis e sujeitos a fraturas. A reumatologista falou ainda de alguns fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento da doença, tais como pele branca; sedentarismo; baixa ingestão de vitamina D; dieta pobre em cálcio; tabagismo; consumo em excesso de bebidas e alguns medicamentos, como anticonvulsivantes, entre outros.

Os exercícios físicos, especialmente caminhada, pilates e musculação, são fundamentais no processo de fortalecimento muscular e para a redução do risco de fraturas, contudo devem ser feitos com orientação profissional de um educador físico ou fisioterapeuta, orientou a especialista, recomendando evitar ter em casas onde vivem idosos, tapetes, fios embaralhados e brinquedos, assim como obstáculos no caminho até o banheiro, onde ocorre grande parte das quedas desse público.

Lucimar de Oliveira, de 52 anos, esclareceu com a médica sobre tratamentos associados devido a outros problemas que ela tem além da osteoporose. “Achei interessante pois ela falou para mim que, como eu tenho problema nos rins e no fígado, eu não posso tomar o cálcio sem a orientação dos meus médicos que cuidam desses problemas”, contou. “Geralmente os pacientes não sabem qual profissional procurar e esclareci que a osteoporose é uma doença que envolve vários profissionais, nutricionista, ortopedista, ginecologista, reumatologista e, às vezes, até o nefrologista e o hepatologista, por afetar vários órgãos”, concluiu Cláudia.




Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS