04/01/2018 - Golpe da UTI: Familiares dos pacientes do HGG também foram abordados por quadrilha



Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG já registrou boletim de ocorrência sobre estas abordagens

Registrado em todo o Brasil, o Golpe da UTI também está tentando ser aplicado entre os pacientes do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG. Os golpistas alegam que é preciso pagar para agilizar um ou mais exames de alto custo e pedem para o familiar depositar o valor na conta de uma pessoa física. A Assessoria Jurídica da unidade já registrou Boletim de Ocorrência na 4ª Delegacia Distrital de Polícia de Goiânia.

Cerca de quatro pacientes já entraram em contato com o HGG para informar do golpe, porém, nenhum acreditou na conversa dos golpistas. O HGG divulga em seus canais de comunicação, como no Manual do Paciente e jornal A Voz do HGG, e em reuniões que antecedem às visitas da UTI, alertas sobre estes possíveis contatos de estelionatários. Importante destacar que nenhum valor pode ser cobrado nos procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS). Como o HGG é um hospital 100% SUS, esta prática é totalmente ilegal.

Este golpe é muito comum no país. Em Brasília por exemplo, a delegacia de polícia identificou que há uma organização criminosa no Mato Grosso. Inclusive, é deste estado o número da conta bancária do golpista que entrou em contato com a filha de uma paciente internada no HGG, Leandra Aparecida Costa e Silva. “Quando me ligaram, fiquei com o coração acelerado e as pernas bambas. Porém, já suspeitei que era golpe. A conta é de Rondonópolis, provavelmente de um laranja.” Os golpistas ligaram se identificando como diretor do Hospital, de forma bem calma e segura, alegando urgência do exame, pois o SUS demoraria para liberar. O titular da conta da Caixa é Magno Patrick M Fernandes.



Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS