Cosplayers animam pacientes durante o Riso no HGG



Cosplay Solidário Classe A e Conselho Jedi Goiás levaram super-heróis e personagens de filmes para o hospital, nesta quarta-feira, 24 de janeiro

Coringa, Arlequina, Power Ranger, fadas e diversos outros personagens invadiram o Hospital Estadual Alberto Rassi - HGG nesta quarta-feira, 24 de janeiro, na primeira edição do projeto Riso no HGG de 2018. Cerca de 15 integrantes dos grupos Cosplay Solidário Classe A e Conselho Jedi Goiás levaram personalidades conhecidas dos quadrinhos e filmes famosos há décadas, que percorreram os corredores e enfermarias da unidade.

Pacientes, acompanhantes e colaboradores se divertiram e interagiram com os grupos, que se apresentaram pela primeira vez no hospital. A maioria pediu fotos e abraços dos personagens, que foram recebidos com festa nas Clínicas Médica e Cirúrgica e no Núcleo de Apoio ao Paciente Paliativo (NAPP).

Joyce Milena Faria, de 31 anos, está internada para a realização de uma laqueadura e ficou animada com a visita dos personagens. "Eu gostei muito, fiquei muito satisfeita, fiz questão de tirar foto com todo mundo. Já conhecia todos os personagens, porque minhas filhas são apaixonadas neles. Essas visitas são ótimas, porque a pessoa está no hospital e tem a expectativa de uma coisa melhor, e aí eles vêm, a gente faz foto, é muito legal", disse animada.

Já Carla Ribeiro e Junior Salviano estão acompanhando a avó que está internada no hospital e aprovaram o projeto. "Foi muito importante, muito legal para trazer a alegria para os pacientes. E aqui no hospital todo mundo é bem tratado, todos os funcionários são bem humorados e gostam de fazer o trabalho deles", disse Junior. Para Carla foi uma experiência diferente. "É uma coisa que sai da rotina, então é muito bem vista. Quebra aquele clima de tristeza do hospital com um trabalho muito especial", destacou.

A advogada Maria Helena Pires faz cosplay há seis anos. Normalmente vestida como a Mulher Maravilha, no HGG foi como a personagem Kurama Youko da série mangá Yu Yu Hakusho. Maria Helena, que já esteve do outro lado como uma paciente que recebeu visita, considera esse tipo de atividade importante, pois melhora o ânimo e ajuda na recuperação. "Eu também já estive nessa posição de interna e gostei muito quando me visitaram. É uma coisa boa, uma terapia, o ânimo das pessoas melhora quando a gente entra no quarto, pega na mão, pergunta como a pessoa está. Eu sei porque vivi isso, sei o quanto é importante", destacou.

Ela disse ainda que espera que o grupo seja novamente convidado para participar de ações no HGG. "Espero que nos convidem mais vezes, porque nós viremos. É uma luz pro paciente e a gente ganha mais do que dá, essa que é a verdade. Às vezes a gente fica um pouco triste, porque não tem muito o que possamos fazer pela melhora deles, mas um momento de alegria já vale e a gente se sente realizado."



Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS