11/09/2020 - HGG reforça protocolos para diagnóstico e tratamento precoce de sepse



Unidade do Governo de Goiás criou um alerta no prontuário eletrônico para chamar atenção da equipe médica em caso de sintomas

Popularmente conhecida como infecção generalizada, a Sepse é um conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas frente a uma infecção. O combate à doença depende do reconhecimento do profissional para o quadro do paciente. Por isso, o Hospital Estadual Alberto Rassi - HGG promove rotineiramente treinamentos voltados para os profissionais da área médica e de enfermagem da unidade para alertar sobre a doença.

O médico intensivista e diretor-técnico do HGG, Durval Pedroso, explicou sobre a importância do diagnóstico precoce de sepse. "O mais importante é o diagnóstico precoce para início do tratamento quando se exige expansão volêmica adequada por fluídos e a administração rápida de antibiótico. Todos os trabalhos científicos mostram que os antibióticos devem ser aplicados em menos de duas horas, para o paciente ter uma resposta adequada".

Segundo o diretor, no HGG o combate à sepse acontece de forma gerenciada. "Esse protocolo envolve, além dos critérios de diagnóstico clínico, os aspectos de relevância no tratamento, que é a resposta rápida na identificação de sinais e sintomas, principalmente relacionados à disfunção orgânica, além da rapidez do uso antimicrobiano", esclarece Pedroso.

O médico pontua, ainda, que devido ao título de hospital acreditado pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) em nível 3, de excelência, é imprescindível que os protocolos de diagnóstico e combate à sepse sejam cada vez mais eficazes. "Para que esse processo seja facilitado, várias alas do hospital dispõem de um kit que tem a primeira dose dos antimicrobianos, padronizado pela Comissão Interna de Infecção Hospitalar (CIIH), para que o paciente não tenha nenhum atraso no recebimento desse medicamento", afirma. Durval cita também a implantação de um alerta no prontuário eletrônico, que foi parametrizado para quando existirem sinais e sintomas identificados da sepse chamar a atenção para a possibilidade da doença e de que é necessário fazer uma avaliação.

No próximo domingo, 13 de setembro, Dia Mundial da Sepse, a unidade reforça o alerta contra a doença com a realização de um “Quiz da Sepse” para avaliação do conhecimento dos protocolos utilizados no HGG pelos colaboradores assistenciais.

Grupos de risco
Durval alerta que qualquer pessoa pode desenvolver sepse, no entanto, há alguns grupos de risco: prematuros e crianças abaixo de um ano; idosos acima de 65 anos; pacientes com câncer; aids ou que fizeram uso de quimioterapia ou outros medicamentos que afetam as defesas do organismo; pacientes com doenças crônicas como insuficiência cardíaca, insuficiência renal, diabetes; usuários de álcool e drogas; e pacientes hospitalizados que utilizam antibióticos, cateteres ou sondas.

Entre os hábitos que podem prevenir infecções, estão:

• Lavar as mãos com água e sabão, com frequência;
• Não fumar perto de crianças;
• Manter a vacinação de crianças em dia;
• Procurar orientação médica ao sinal de febre;
• Evitar o hábito de levar a mão à boca ou ao nariz;
• Manter uma alimentação balanceada com legumes, frutas e verduras;
• Praticar exercícios.





Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS