Goiânia, 19 de agosto de 2017    




Notícias

(18/03/2015) Clássicos do pop rock embalam tarde de Sarau

Cejane Verdejo e Gustavo Lenza se apresentaram no Sarau do HGG na tarde da última quinta-feira, 12 de março

“Onde existir a chama
Alguém é obrigado a se queimar
Mas só porque queima
Não significa que você vai morrer
Você tem que levantar-se e tentar, tentar, tentar”

O trecho acima é a tradução da música Try, da cantora americana Pink e se repetiu várias vezes no Sarau do Hospital Alberto Rassi – HGG, na tarde da última quinta-feira, 12 de março. A cantora Cejane Verdejo e o violonista Gustavo Lenza, levaram para o público do hospital além de canções de reflexão, o melhor do pop rock nacional e internacional. Quando cantaram Try, pela primeira vez, Marlídia Gonçalves Pinheiro, que está acompanhando a mãe que passou por uma cirurgia no intestino, disse para o público que essa música tinha uma mensagem muito bonita.

“Algumas pessoas estão internadas, outras como eu acompanham algum familiar, e de alguma forma estão em situação de vulnerabilidade, é importante prestar atenção nessa letra. Ela fala que precisamos tentar até o fim. Não podemos desistir”. Após a fala, Marlídia foi aplaudida por todos, inclusive pelos artistas. Cejane contou que quando descobriu a tradução da música, fez questão de incluir no seu repertório de show.

Além de Pink, o público pôde relembrar clássicos de Cássia Eller, Nando Reis, Legião Urbana, Shakira, Zélia Duncan e até Erasmo Carlos. “Tem como ter Sarau todo dia?”, perguntou o pedreiro Francisco da Silva, que está internado na unidade para tratar de um problema vascular. “Aqui é bom demais. Participei na semana passada, no show do Pádua e hoje essa cantora é tão linda que parece a Paula Fernandes. Eu estou adorando”, e emendou uma gargalhada.

A dona de casa Maria Josélia Silva Sampaio acompanha o pai que está internado para tratar problemas no coração e problemas vasculares. Ela disse que o pai está gostando muito do hospital. “Todo dia ele tem uma atividade. Ontem foi para a Oficina de Arte. Hoje, quando escutou a música, se vestiu rapidamente e foi um dos primeiros a chegar aqui para assistir o show”, informou.

A cuidadora de idosos, Lilian de Sousa participou pela primeira vez do Sarau e adorou. “A Cejane é linda e tem um repertório impecável. Eu amei”. E ela fez questão de acompanhar a apresentação em todos os andares e cantar todas as músicas. No final, Cejane fez questão de presentea-la com um CD.

Depois do show nos andares, os artistas visitaram alguns quartos de pacientes que não puderam sair. Foi o caso do casal Roberto Nominato e da mulher, Elusiane Nominato, que sofreram queimaduras por todo o corpo em um acidente doméstico. Também visitaram a aposentada Conceição Gonçalves Silva, mãe da Marlídia, que adora músicas internacionais. O final do show aconteceu no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do HGG.

Para os cantores, a experiência foi marcante. “Eu já conhecia o projeto, já participei outras vezes com o coral espírita Vozes da Terra. Quando a Cejane me convidou, aceitei prontamente. Esse projeto é muito bonito”, afirmou Gustavo. “O bem maior é para nós artistas, com certeza. A gente tenta trazer um pouco de alegria para as pessoas que estão nessa batalha. Agradecemos imensamente o convite e nos colocamos a disposição para voltar outras vezes”, finalizou Cejane.



Fonte: IDTECH





Google








IDTECH - Todos os direitos reservados

Rua 01, Qd. B-1, Lt. 03/05 nº 60 - Térreo, Setor Oeste, Cep. 74115-040, Goiânia/GO
Telefone: 62 3209-9700