Goiânia, 25 de junho de 2017    




Notícias

(28/10/2015) Projeto de literatura tem aprovação de pacientes no primeiro dia

Lançamento do “Dose de Letras” aconteceu na tarde desta terça-feira, dia 27 de outubro. Ação, que tem como objetivo incentivar a leitura e humanizar o ambiente hospitalar, será realizada de segunda à sexta-feira

O comerciante João Rodrigues da Silva recebeu na tarde desta terça-feira, dia 27 de outubro, uma visita inesperada. Hospitalizado há dez dias, o paciente foi um dos primeiros a conhecer o novo projeto de humanização do Hospital Alberto Rassi – HGG, o “Dose de Letras”. Com o objetivo de incentivar a leitura e minimizar e/ou prevenir efeitos e sintomas negativos da hospitalização, a iniciativa funcionará como uma biblioteca itinerante pelas alas de enfermarias e Centro de Terapia Intensiva – CTI. A ação será realizada de segunda a sexta-feira entre às 14 horas e 16 horas, quando o Serviço de Terapia Ocupacional da unidade visitará os pacientes com os livros.

João é um amante da leitura. Ele conta que diariamente lê um famoso tabloide da capital que é levado pelos familiares no horário da visita, para diminuir a ansiedade pela cirurgia que aguarda e também a ociosidade. Na biblioteca ambulante do HGG, composta por livros, revistas e gibis, o paciente optou por literatura. “Eu acho que esse projeto vai dar certinho, pois assim como eu aqui tem muitas pessoas que gostam de ler. Sem falar que quando estamos em um hospital, o tempo fica muito grande. Ontem mesmo eu estava muito ansioso, com vontade de ir para casa, e hoje terei uma distração para diminuir esse sofrimento”, disse.

Adelícia da Silva também aprovou a iniciativa da unidade hospitalar. A dona de casa está internada somente há cinco dias, mas já sentiu os efeitos negativos de ficar longe da família e de casa. A paciente explicou que é fascinada pelas histórias do folclore brasileiro e contos, por isso escolheu um livro sobre o assunto. “Apesar da visão não contribuir muito mais para a leitura, eu gosto muito de ler. Eu me interesso mais por essas histórias pequenas, e que prendem a minha atenção, do que aqueles livros grandões. A gente fica aqui aflito, sentindo dores, e ocupar a cabeça sempre ajuda.”

A ideia do projeto veio da equipe multiprofissional da unidade hospitalar. O acervo é composto atualmente por 270 itens, entre livros, gibis e revistas, e são de diversos gêneros - crônicas, romances, ficção, dirigidas ao público infantil e adulto, e todas são provindas de doação. Para que o acesso seja democrático, nas segundas, quartas e sextas-feiras, os pacientes em tratamento na Clínica Médica e Diálise serão beneficiados com o projeto, e nas terças e quintas-feiras, será a vez dos pacientes da Clínica Cirúrgica e Centro de Terapia Intensiva – CTI.

Para a terapeuta ocupacional, Michel Vaz, a leitura proporcionará incontáveis benefícios para os pacientes e cuidadores da unidade hospitalar. Ela esclarece que a leitura, mesmo para pessoas que não estão hospitalizadas, melhora as relações interpessoais, vocabulário, proporcionando também benefícios culturais e mais conhecimento. “O projeto se encaixa muito bem no perfil dos pacientes do HGG, que são de longa permanência. Nós esperamos proporcionar aos pacientes mais espontaneidade, motivação pessoal, interação social, tirar a ociosidade, melhorar os aspectos cognitivos, além de incentivar a leitura também”, pontuou.


Fonte: IDTECH






IDTECH - Todos os direitos reservados

Rua 01, Qd. B-1, Lt. 03/05 nº 60 - Térreo, Setor Oeste, Cep. 74115-040, Goiânia/GO
Telefone: 62 3209-9700