Goiânia, 21 de novembro de 2017    




Notícias

(05/11/2009) Especialistas se reúnem para discutir sobre Prontuário Eletrônico

Teleconsulta está representado por dois assessores de Tecnologia da Informação do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech)

Desta quarta-feira, dia 4 de novembro, até sexta-feira, dia 6, especialistas do Brasil e do mundo, representantes de hospitais públicos e privados, universidades, profissionais de saúde e gestores estarão reunidos no Instituto de Ensino e Pesquisas do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para trocar experiências sobre o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP). O sistema permite o armazenamento de todos os dados relativos ao usuário dos serviços médicos, seja na rede pública ou privada.
Goiânia, que já tem o banco de dados da Central de Atendimento ao Cidadão – Teleconsulta, que pode ser ao PEP trazendo benefícios aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), está representado no evento pelos assessores de Tecnologia da Informação do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech), Adonai Andrade e Vitor Santana. O Idtech elaborou o projeto, montou e gerencia o Teleconsulta em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia.
O PEP é realizado a cada dois anos pela Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS). O tema principal deste ano será "A Saúde conectada através do Registro Eletrônico em Saúde: sonho ou necessidade?". Registro Eletrônico em Saúde (RES) é o novo nome que tem sido dado ao PEP, em função da necessidade de as informações sobre os pacientes, assim como quase tudo na Internet, ser compartilhada (o que, no caso específico do prontuário, exige a aprovação consciente do paciente). E ainda, pelo fato de o PEP poder ser a base, o centro da integração entre os sistemas de informação em saúde.
A meta da SBIS e dos técnicos que atuam na área é chegar a um RES inter e multi-institucional. No âmbito de uma cidade, estado ou País, é indispensável a construção de uma arquitetura integrada, baseada em padrões, que permita a interoperabilidade entre os diversos sistemas de informação em saúde, entre os diferentes PEPs, de fornecedores concorrentes e tecnologias variadas. Também é preciso garantir que o RES seja seguro, mantendo a privacidade e a confidencialidade da informação identificada em saúde.
Na busca pelo RES, alguns avanços já ocorreram, inclusive no Brasil, com destaque para os requisitos de segurança estabelecidos pela Certificação de Software SBIS-CFM. Além disso, a Certificação Digital (assinatura eletrônica) ganhou força e forma para garantir a autenticidade e integridade das informações registradas no PEP-RES. Todas essas questões estarão sendo tratadas no evento em São Paulo. As discussões certamente terão resultados práticos que poderão ser sentidos em breve pelos pacientes e profissionais de saúde, especialmente usuários da rede pública.

Fonte: ASCOM/IDTECH






IDTECH - Todos os direitos reservados

Rua 01, Qd. B-1, Lt. 03/05 nº 60 - Térreo, Setor Oeste, Cep. 74115-040, Goiânia/GO
Telefone: 62 3209-9700