Goiânia, 30 de abril de 2017    




Notícias

(30/05/2011) Dia Mundial sem Tabaco será tema de ação em Aparecida de Goiânia

Das 8 às 17 horas serão realizadas palestras, testes de dependência do cigarro, orientação sobre métodos para deixar de fumar e distribuição de folhetos. Trabalho será concentrado no AME

O cigarro causa 200 mil mortes por ano no Brasil. São 23 vítimas por hora. Para se ter uma ideia da gravidade da situação, segundo o Ministério da Saúde, a dengue matou 786 pessoas em 18 anos, entre 1990 e 2008. Para estimular o combate ao tabagismo, esse grave problema de saúde pública no País, é comemorado nacionalmente no dia 31 de maio, o Dia Mundial sem Tabaco. Em Aparecida de Goiânia, as atividades alusivas à data serão concentradas no prédio do Ambulatório Médico Especializado (AME), à Avenida São João, quadra 05, lote 07, Jardim Nova Era.

Das 8 às 17 horas serão realizadas palestras, testes de dependência do cigarro, orientação sobre métodos para deixar de fumar e distribuição de folhetos educativos. Estarão envolvidos na ação, o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech); o Projeto Rondon® Goiás; a Sociedade Goiana de Pneumologia e Tisiologia; a Universidade Federal de Goiás, por meio das Ligas do Pulmão, do Centro Acadêmico de 21 de Abril, de Medicina, da Faculdade de Medicina e do Hospital das Clínicas; e a Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia.

As palestras, testes de dependência do cigarro e orientações sobre métodos para deixar de fumar serão realizados numa tenda montada no estacionamento do AME. Estarão encarregados do trabalho os rondonistas acadêmicos da Liga do Pulmão. Os estudantes também realizarão o pedágio pela saúde. Uniformizados, eles distribuirão fôlderes aos pedestres e motoristas que transitarem durante todo o dia pela Avenida São João e na entrada do estacionamento do Buriti Shopping. As unidades de saúde de Aparecida de Goiânia também distribuirão o material para os usuários da rede.

Este ano, no Dia Mundial do Tabaco, a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) enfocará como tema central a importância do cumprimento efetivo por parte do Brasil da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco. Assinado pelo governo brasileiro e os representantes de mais 171 países, o tratado internacional, determina como metas: eliminar a exposição à fumaça em todos os ambientes públicos fechados; proibir embalagens de cigarros atraentes para jovens e crianças; aumentar a oferta de tratamento aos dependentes nas unidades públicas de saúde; aumentar regularmente os preços dos impostos sobre o tabaco; proibir aditivos nos cigarros, acabar com as ações promocionais em eventos; e apoiar os fumicultores para o plantio de outras culturas.

O pneumologista Marcelo Fouad Rabahi, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás e membro da Sociedade Goiana de Pneumologia e Tisiologia, diz que o País adotou algumas medidas. Mas muitas ainda não saíram do papel para milhares de brasileiros. O País utiliza mensagens sobre os riscos do tabagismo nas embalagens dos produtos de tabaco e proibiu o uso de informações enganosas ou que induzam ao erro, como as expressões baixo teor e light, além de inserir advertências sanitárias com fotos contundentes sobre os malefícios do tabagismo. Mas falta a proibição efetiva de embalagens atraentes para crianças e jovens.

Outra medida que vem sendo cumprida de forma incipiente é a que estabelece a obrigação de apoiar os fumantes para que eles deixem de fumar. Só algumas unidades do Sistema Único de Saúde oferecem tratamento gratuito aos fumantes que desejam parar de fumar. É necessário ampliar a oferta de tratamento nas unidades públicas de saúde.

O valor do maço de cigarros e dos demais produtos de tabaco influencia no consumo e no acesso dos jovens. O governo elevou os impostos sobre os produtos, o que refletiu no aumento dos preços, mas é preciso formular uma política tributária que eleve os preços dos cigarros regularmente, dando cumprimento a outra medida da Convenção-Quadro.

O documento determina ainda que os Países que as subscreveram precisam proibir totalmente a propaganda e as ações promocionais que estimulam os jovens a fumar, especialmente em shows e festas e controlar o conteúdo dos produtos. Proibir o uso de aditivos nos cigarros é fundamental para reduzir o poder da nicotina em causar dependência e para diminuir a experimentação entre crianças e adolescentes. Experimentação esta evitada entre os jovens por meio da proibição da propaganda associada ao lazer. Por último, falta ao Brasil apoiar os fumicultores no plantio de outros produtos. Milhares de famílias dependem do plantio do fumo.

Fórum – Também neste dia 31 de maio, a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), em ação conjunta com a Associação Médica Brasileira, o Conselho Federal de Medicina, a Federação Nacional dos Médicos, as Sociedades Brasileiras de Cardiologia, de Pediatria, de Oncologia, de Nefrologia, de Ortopedia, entre outras, realizarão o Fórum das Entidades Médicas sobre Tabagismo. O encontro, no Auditório Interlegis do Senado Federal, em Brasília, das 14h às 18h, visa ao debate sobre os projetos de lei em tramitação no Senado sobre a promoção de ambientes livres de tabaco.

"Há um projeto de lei de suma importância sobre a regulamentação federal dos ambientes fechados 100% livres do tabaco, o PL 315/08, que aperfeiçoa a lei 9294/96. Uma vez aprovado pelo Senado poderá salvar milhares de vidas de pessoas expostas às 4.700 substâncias tóxicas presentes na fumaça ambiental do tabaco”, comenta Alberto José de Araújo, coordenador da Comissão de Tabagismo da SBPT.

Fonte: IDTECH






IDTECH - Todos os direitos reservados

Rua 01, Qd. B-1, Lt. 03/05 nº 60 - Térreo, Setor Oeste, Cep. 74115-040, Goiânia/GO
Telefone: 62 3209-9700