Goiânia, 26 de abril de 2017    




Notícias

(22/12/2011) HGG terá o dobro de leitos de UTI com contrato de gestão

Plano de trabalho elaborado pelo Idtech tem entre as principais metas, o funcionamento pleno da unidade, com duplicação das vagas de terapia intensiva e a ampliação da capacidade de internação em leitos convencionais

Referência no atendimento especializado para o Estado de Goiás e uma das mais importantes unidades terciárias da rede pública de Saúde, o Hospital Geral de Goiânia (HGG) terá sua capacidade de atendimento ampliada e ganhará em qualidade da assistência a partir do seu novo modelo de gerenciamento, por meio contrato de gestão. Apresentada pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech), a proposta vencedora do chamamento público para a unidade, cujo resultado foi anunciado nesta quinta-feira, dia 22 de dezembro, prevê a colocação de todos os setores do hospital em funcionamento pleno e a ampliação do número de leitos.

Uma das maiores carências do Sistema Único de Saúde (SUS) atualmente no Estado, de vagas para terapia intensiva (UTI), foi contemplada pela proposta, que tem entre suas principais metas a duplicação dos leitos existentes no hospital – de 10 para 20. Outra grande necessidade, de leitos para internações de emergência clínica, também será minimizada. Serão criados mais 10 leitos para esta demanda, hoje reprimida nas salas de estabilização das unidades secundárias de saúde (Cais e Ciams). Entre estes usuários estão portadores de diabetes e pneumonia graves, por exemplo, que não encontram resposta no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), sobrecarregado por emergências de traumatologia.

A unidade de hemodiálise, que praticamente fechou as portas nas últimas semanas, terá sua capacidade total resgatada, já com a colocação em funcionamento das 17 máquinas e possibilidade de ampliação do atendimento. O centro-cirúrgico, que atualmente dispõe de 11 salas e funciona de segunda a sexta-feira, das 7 às 19 horas, terá seus horários ampliados, com a criação de um turno noturno e cirurgias também aos sábados. Está previsto ainda o incremento dos serviços odontológicos de acordo com a Política de Saúde Bucal do Estado, com ênfase para o serviço odontológico a pacientes portadores de necessidades especiais. Para que todas as mudanças sejam viabilizadas, serão empreendidas a reforma e ampliação das instalações físicas.

A meta é que a ocupação do hospital atinja 95% de sua capacidade, com redução da taxa média de permanência e dos índices de infecção hospitalar e de mortalidade global. Embora a ampliação e a melhoria da qualidade do atendimento sejam os focos principais da proposta, estão previstas intervenções em todas as áreas. Neste sentido, é importante frisar que o plano propõe o aproveitamento de 100% dos trabalhadores lotados atualmente na unidade. Mas estabelece a implantação de um projeto de aprimoramento da gestão de pessoas. Por meio de investimentos na capacitação gerencial e promoção de remanejamento interno, as equipes de trabalho terão maior suporte institucional.

Com o Idtech, haverá a informatização de todos os processos tanto administrativos quanto assistenciais do HGG. Todas as áreas do hospital serão integradas digitalmente, para tornar o atendimento mais ágil e eficiente, com redução de custos. Será desenvolvido sistema de prontuário eletrônico ao qual terão acesso todos os trabalhadores envolvidos no atendimento ao paciente, respeitando-se, claro, os limites impostos pela hierarquia da equipe técnica. A ideia é empreender também a completa reestruturação do departamento de compras, serviços e contratações, com a criação de um sistema que permita a manutenção preventiva de equipamentos e o controle informatizado de estoques, para que não haja desabastecimento.

O objetivo é o aperfeiçoamento da gestão e do atendimento a partir de critérios de excelência, priorizando conceitos da humanização hospitalar, com metas a serem executadas a curto, médio e longo prazos. “Vamos buscar o nível de satisfação dos pacientes de 80% entre bom e ótimo, aferido por meio de pesquisas próprias e institutos especializados, para conferir maior credibilidade”, observa Marcelo Rabahi, consultor técnico do Idtech e um dos integrantes da equipe responsável pela elaboração da proposta, que tem a participação também de professores da Universidade Federal de Goiás (UFG) e da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás).

Rabahi é um dos mentores do trecho da proposta que prevê a transformação do HGG em centro de referência em pesquisa clínica para o País, objetivo que será atingido com a celebração de parcerias de cooperação técnica com as universidades e órgãos e organizações de pesquisa. Outra meta com vistas a excelência técnica da unidade é a implantação do Programa de Qualidade para a obtenção de certificação de acreditação hospitalar conferida pela Organização Nacional de Acreditação – ONA. “Queremos que o HGG seja também uma referência técnica para o país e possa, com isso, almejar outras importantes certificações nesta área”, observa Rabahi.

Para o coordenador executivo do Idtech, José Cláudio Romero, as conquista do contrato de gestão do hospital representa um importante desafio para o Instituto o exercício dos seus princípios fundamentais. Ele lembra que o Idtech é uma organização de direito privado, sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social, e que tem entre seus objetivos o desenvolvimento humano e a defesa da cidadania. A Instituição – que atua também nas áreas social, de meio ambiente, tecnologia da informação e educação – vê neste contrato de gestão uma oportunidade de promover a inclusão de usuários do SUS, penalizados pela dificuldade de acesso à assistência à saúde.

“Será um projeto pautado pela transparência e temos convicção de que, com o know how que temos e com a grande capacidade técnica da equipe que coordenará a execução do projeto, aliada à capacidade técnica e à vontade política do governo de Goiás, por meio de sua Secretaria de Estado da Saúde, transformaremos o HGG”, observa José Cláudio Romero. “Acreditamos que, com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde e com empenho do Idtech, o HGG, que hoje já desempenha um grande papel dentro do SUS, amplificará os resultados de seu trabalho, o que se reverterá em ampliação do acesso e maior qualidade da assistência para o usuário, além da excelência no atendimento.”



Confira os principais pontos da proposta:

• Duplicação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva – de 10 para 20.

• Criação de mais 10 leitos para internações de emergência clínica.

• A taxa de ocupação alcançar 95% da capacidade de internação do hospital.

• Recuperar a capacidade total da unidade de hemodiálise, com 17 máquinas em funcionamento e a possibilidade de ampliação.

• Buscar o nível de satisfação dos pacientes de 80%, entre bom e ótimo, por meio de pesquisas próprias e institutos especializados, para conferir maior credibilidade.

• Reduzir índices da média de permanência, taxas de infecção hospitalar e taxas de mortalidade global.

• Implementar serviços odontológicos de acordo com a Política de Saúde Bucal do Estado de Goiás, com ênfase para o serviço odontológico a pacientes portadores de necessidades especiais.

• Informatização de todos os processos tanto administrativos quanto assistenciais – todas as áreas do hospital serão integradas, para tornar o atendimento mais ágil e eficiente, com redução de custos. Neste aspecto, será desenvolvido sistema de prontuário eletrônico.

• Parceria com a Secretaria Municipal de Saúde para a readequação para a distribuição dos vales-exames.

• Aprimoramento da gestão de pessoas – a proposta determina o aproveitamento de 100% dos servidores públicos em atuação no HGG. Por meio de investimentos na capacitação gerencial e promoção de remanejamento interno, as equipes de trabalho terão maior suporte institucional.

• Reestruturação do departamento de compras, serviços e contratações – a proposta prevê o controle de estoques informatizado para que não haja desabastecimento.

• Implantação do Programa de Qualidade, com vistas à certificação conferida pela Organização Nacional de Acreditação – ONA, tornando o hospital referência para o país e também para a conquista de novas certificações.

• Transformar o HGG em centro de referência em pesquisa clínica, estabelecendo parcerias de cooperação técnica com as universidades, entre elas a Universidade Federal de Goiás (UFG) e Pontifícia Universidade Católica (PUC-GO), além de órgãos e organizações de pesquisa.

• Previsão de reformas e aquisições de equipamentos hospitalares.




Leia também:

Link 1: Idtech é a OS selecionada para gerenciar o HGG

Link 2: Idtech é a OS selecionada para gerenciar o HGG




Fonte: IDTECH






IDTECH - Todos os direitos reservados

Rua 01, Qd. B-1, Lt. 03/05 nº 60 - Térreo, Setor Oeste, Cep. 74115-040, Goiânia/GO
Telefone: 62 3209-9700