Goiânia, 24 de julho de 2017    




Notícias

(16/05/2012) Governador aprova gestão por OS no HGG

Marconi Perillo disse estar satisfeito com os dados apresentados pelo Idtech e resultados lhe dão certeza de que fez a escolha certa ao romper paradigmas. Instituto apresentou projeto de ampliação dos leitos de UTI

A reunião de prestação de contas dos 60 dias de gestão do Hospital Alberto Rassi – HGG pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech) ao governador Marconi Perillo, nesta quarta-feira, dia 16 de maio, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, transformou-se em um ato de apoio à opção do governo pela parceria com organizações sociais para a administração dos hospitais do Estado. O governador disse ter certeza de que fez a escolha certa, ao conferir os bons resultados apresentados pelo Idtech frente ao hospital. O HGG, que há dois meses figurava no noticiário pelos seus problemas, está abastecido, em pleno funcionamento, apresentou incremento no volume de serviços prestados e agora se prepara para a ampliação dos leitos de UTI, cujo projeto arquitetônico foi apresentado na reunião.

“Estou convencido de que estávamos certos quando decidimos romper paradigmas e enfrentar resistências e desconfianças, apostando neste modelo de gestão que já demonstrava ser positivo em hospitais como o Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (CRER) e o Hospital de Urgências de Anápolis”, discursou Marconi Perillo. O governador afirmou estar extremamente satisfeito com o relatório apresentado e vislumbrou tempos mais tranquilos para a área de Saúde e os usuários dos serviços públicos. “Depois da tempestade virá a bonança, em forma de benefícios para a população mais pobre.” Marconi Perillo agradeceu o Idtech por cumprir os compromissos assumidos com o Estado.

As manifestações positivas vieram também do promotor Marcelo Celestino, coordenador do Centro de Apoio Operacional (CAO) à Saúde, do Ministério Público de Goiás. Ele disse estar convicto de que, em função da legislação atual, não há outro modelo de gestão eficaz que os contratos de gestão para os serviços de saúde pública. Marcelo Celestino criticou duramente a oposição simplista ao modelo de gestão. “Ontem mesmo estive em um evento sobre o assunto onde fui bombardeado sim, por um discurso de cunho político-sindical forjado por segmentos que desconhecem o assunto e por isso criticam”, disse.

Em referência ao discurso do coordenador de Gestão Hospitalar do Idtech, Marcelo Rabahi, o promotor disse acreditar que o Estado de Goiás está escrevendo não uma página, mas o capítulo de uma nova história para a Saúde Pública em nosso Estado. “Tenho absoluta certeza que o HGG sairá do noticiário, porque coisas boas não têm destaque na mídia.” O promotor salientou que, pela disposição e a capacidade administrativa-gerencial apresentada pelo Idtech, o Hospital vai atender com qualidade e excelência sem esquecer os princípios constitucionais que norteiam os serviços públicos, como economicidade, integralidade e transparência.

O respeito a estes princípios pela Instituição foi destacado pelo assessor jurídico do Idtech, Juscimar Ribeiro, em seu discurso. Ele lembrou-se que a prestação de contas estava ocorrendo em um momento muito feliz. “Hoje entra em vigor a Lei 12.527, a lei do acesso à informação, que obriga o poder público a divulgar todos os dados de interesse público, sem necessidade de solicitação prévia.” Juscimar Ribeiro ressaltou que essa prática é adotada pelo Idtech mesmo antes da vigência da lei, desde a sua fundação e enalteceu a opção do governador pela parceria com as organizações sociais. “É com grande satisfação que agradecemos ao senhor pela opção que fez, nos dando a oportunidade de participar deste salto de qualidade que certamente será vivenciado pela Saúde Pública do nosso Estado.”

O secretário Antônio Faleiros disse que, com as Organizações Sociais, os gestores estaduais terão tempo para pensar na Saúde Pública, planejar ações. “Os entraves burocráticos existentes são incompatíveis com a dinâmica exigida pelos serviços de saúde”, afiançou o secretário. Para ele, os contratos de gestão oferecem a agilidade requerida pela área. Com a experiência de quem vive já há bastante tempo o dia a dia do HGG e integra o grupo gestor do Hospital, o diretor-geral André Luiz Braga, endossou a fala do secretário. E foi além: “A transformação provocada pelo Idtech no Hospital nestes dois meses me dá segurança para afirmar que estamos, sim, no rumo certo.”

Resultados
O coordenador de Regulação Assistencial do Idtech, Rafael Nakamura, ficou encarregado de apresentar o relatório de prestação de contas dos 60 dias de gestão do HGG e o projeto de ampliação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele mostrou que, nestes dois meses a frente do Hospital, o Instituto já obteve resultados muito positivos para os usuários da unidade hospitalar e o que é melhor, com economia dos recursos investidos pelo Estado. Segundo ele foram investidos mais de R$ 4 milhões nas compras de medicamentos e insumos e contratação de serviços, em alguns casos, com economia de mais de 50%, graças à contratação de uma plataforma eletrônica de compras, em atividade desde 22 de março.

“Com os recursos da plataforma, que tem 9 mil fornecedores cadastrados, inclusive de outros Estados, o medicamento antifúngico capsofungina, que era comprado por R$ 19 mil reais, foi adquirido por menos de R$ 10 mil.” Um levantamento feito com base em seis itens, para demonstração ao governador, apontou uma economia de quase meio milhão em um mês. “Em média, a economia foi de 17%, mesmo em compras emergenciais, em que o natural é o preço extrapolar o de mercado”, comentou Rafael Nakamura.

Nakamura destacou que a proposta do Idtech é a excelência no atendimento, tanto que o Instituto, numa atitude pioneira no serviço de saúde pública, contratou uma profissional de hotelaria para o HGG. “Vamos tratar o usuário do hospital não como paciente, mas como cliente.” Neste sentido, visando à qualidade e também a transparência, o coordenador lembrou que o Idtech, tão logo assumiu o Hospital, tomou a iniciativa de apoiar a criação do Conselho Local de Saúde da unidade. “Nossa instituição prioriza e protege esse direito constitucional do cidadão.”

O caráter moderno e tecnológico da gestão foi lembrado por meio das medidas já tomadas para viabilizar a transformação do HGG num modelo de hospital em que todos os processos serão digitalizados. “Nossa meta é um hospital com papel zero, pois está comprovado que a eficácia e a produtividade dos serviços aumentam na mesma medida em que eles reduzem a quantidade de papeis que utilizam.” A opção do Idtech pela modernidade ficou evidente na apresentação do projeto arquitetônico da obra de reforma e ampliação da UTI, que foi demonstrado por meio de uma maquete digital em 3D.

Pelo telão, os presentes tiveram a sensação de passear pelas dependências da nova unidade, que vai dobrar o número de leitos, somando 20 vagas para este tipo de internação. Com o aumento de 10 para 20 leitos, o Hospital Alberto Rassi terá, pela primeira vez, uma UTI compatível com a sua capacidade de produção cirúrgica. Os leitos insuficientes acabam limitando a produtividade da unidade de saúde e restringem o acesso da população às cirurgias.

A unidade terá leitos com box para preservar a privacidade do doente e cadeira para o acompanhante. Uma sala foi projetada para o preparo dos visitantes. As janelas de metal, que enferrujam e desgastam, serão substituídas por vidraças em blindex e o piso será recoberto por uma manta de material eletrostático, que confere mais proteção em biossegurança que o piso de granitina, utilizado hoje. Conforme explicou Rafael Nakamura, a nova UTI será colocada em funcionamento antes do final deste ano.

Conselho

O governador Marconi Perillo assinou decreto que institui o Conselho de Excelência do Hospital Geral de Goiânia (HGG) composto por membros da classe médica, da sociedade civil organizada, do meio acadêmico, clérico e do Judiciário goiano.

O Conselho será responsável pelo acompanhamento das ações realizadas pelo Idtech. “A instalação desse importante Conselho só contribui para confirmar que investimos no modelo certo ao criarmos mecanismos que permitam a transparência das ações voltadas para o bem-estar do cidadão”, declarou o secretário da Saúde, Antônio Faleiros.

O conselho atual é composto pelo reitor da Universidade Federal de Goiás, Edward Madureira; o reitor da PUC-Goiás, Wolmir Amado; o ex-prefeito de Goiânia Nion Albernaz; o arcebispo metropolitano de Goiânia, Dom Washington Cruz; o desembargador Arivaldo da Silva Chaves, o reitor da UniEvangélica, Carlos Hassel; o presidente da Associação Goiana de Imprensa, Valterli Guedes; presidente da Academia Goiana de Medicina, Joaquim Caetano de Almeida Netto; os médicos Antônio Carlos Ximenes, Luiz Rassi, Nabyh Salum e Nilzo Antônio da Silva.

O Promotor Marcelo Celestino entende que o modelo adotado na administração do hospital (HGG), gerido pela OS Idtech, é a solução para melhorar a saúde pública do Estado (veja o vídeo abaixo).




Fonte: IDTECH / HGG






IDTECH - Todos os direitos reservados

Rua 01, Qd. B-1, Lt. 03/05 nº 60 - Térreo, Setor Oeste, Cep. 74115-040, Goiânia/GO
Telefone: 62 3209-9700