Goiânia, 22 de julho de 2017    




Notícias

(18/01/2013) Conselho Local de Saúde conhece projeto de reforma do ambulatório do HGG

Em fase de licitação, a obra humanizará o atendimento ao paciente que precisa realizar consultas e exames no Hospital Alberto Rassi. Após conhecer o projeto, presidente doCLS HGG disse que obra proporcionará um “up grade na qualidade da assistência”.

Integrantes do Conselho Local de Saúde do HGG (CLS HGG) que tanto cobraram a humanização da portaria B, conheceram nesta quarta-feira, dia 16 de janeiro, o projeto de reforma do Ambulatório do Hospital. A comissão, que foi criada a pedido do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech) para acompanhar a obra, conferiu em um telão, na sala da coordenação executiva do Instituto, detalhes do Projeto, que contemplará a instalação de uma ala exclusiva para internação no Hospital. Após a apresentação, a presidente do CLS HGG, Stefânia Nolasco, foi taxativa. “Essa obra proporcionará um up grade de qualidade na assistência ao paciente. Vamos apoiá-la no que for possível.”

Quem se consulta ou faz exames no Hospital Alberto Rassi – HGG sabe: Desde que o Hospital foi reaberto, há 14 anos, o paciente que vai passar pelo médico, pelo laboratório ou pegar um vale-exame para ser atendido em outras unidades da rede é obrigado a formar extensas filas, na maioria das vezes fora do prédio, sob o sol e a chuva, sem acesso a banheiros. Não há alternativa. No projeto arquitetônico atual não foi prevista uma sala de espera e ao longo dos anos, nunca foi implantado um sistema eficaz de atendimento, com senhas ou agendamento inteligente para minimizar o problema. Por isso as intervenções eram tão cobradas pelo Conselho Local de Saúde.

O projeto foi apresentado pela arquiteta Tereza Cristina Paes Del Papa. Ela explicou que a ala de internação – que será construída onde hoje funciona o Serviço de Arquivo Médico e Estatística (Same) – concentrará todos os serviços relacionados aos pacientes encaminhados para hospitalização, entre os quais, o Núcleo Interno de Regulação (NIR). “As novas instalações foram pensadas para garantir a humanização do atendimento e está prevista, por exemplo, uma sala de intercorrências, para acolher com mais conforto quem está acamado ou em cadeiras de rodas.”

O novo ambulatório incorporará como sala de espera o espaço aberto existente hoje, ao qual se tem acesso pela rampa. Ali será construída uma recepção para 120 pessoas sentadas, banheiros masculino e feminino. O novo projeto prevê ainda 30 consultórios distribuídos em cinco alas, sendo uma delas para especialidades que exigem estrutura diferenciada, como odontologia para pacientes especiais e oftalmologia. Além da espera principal, serão instalados assentos nos corredores das alas dos consultórios das especialidades, para que os pacientes aguardem a hora da consulta sentados.

Salas de procedimentos, enfermagem e um espaço de uso multidisciplinar que poderá ser usada como miniauditório foram concentrados próximos à entrada, para facilitar o acesso. O mesmo foi feito com o Serviço Social, que estará estrategicamente localizado para que tenha facilidade para dar apoio tanto ao ambulatório quanto à internação. No ambulatório será implantado um sistema de senha eletrônica e agendamento inteligente de consultas, de forma a garantir que o paciente vá ao hospital apenas no dia da sua consulta. Também será implantada a TV coorporativa, para divulgação de informações úteis, além de programação de entretenimente, enquanto o paciente espera sua vez de ser atendido.

Os serviços de diagnóstico terão recepção própria, no andar inferior, onde hoje também há um espaço de espera aberto. Está sendo estudada a possibilidade de eliminação da rampa e instalação, para acesso à recepção do ambulatório, de escada e elevador para portadores de necessidades especiais. A guarita da portaria B continuaria existindo, apenas para o acesso de ambulâncias. Todo o acesso dos pacientes passará a ser pela Rua 9-B, em frente ao serviço de emergências médicas da Unimed.

O gerente de Contratos e Licitações, Alex Lima, que também é conselheiro local de Saúde, assinalou que os recursos para execução da obra vieram da economia de verba de contrato e já estão assegurados. O coordenador executivo do Idtech, José Cláudio Romero, assinalou a importância do acompanhamento da obra pelos conselheiros e disse que o Idtech sempre incentivou o Controle Social. “Quando fomentamos a criação do Conselho, foi para isso mesmo. Temos convicção que são as parcerias que constroem.” José Cláudio Romero pediu o apoio durante as obras, que certamente gerarão transtornos, mas representarão um enorme ganho. “Gostaria que vocês se lembrassem sempre que o nosso objetivo é o mesmo, um SUS de qualidade, o SUS que queremos.”

Todos os integrantes da comissão reiteraram apoio ao projeto e se comprometeram a trabalhar para que os demais membros e os pacientes aguardem a execução do Projeto. “Trata-se de uma necessidade urgente, mas diante desta excelente proposta do Idtech, para uma solução definitiva, estamos juntos”, disse a presidente do CLS HGG, Stefânia Nolasco, que ofereceu apoio do Conselho para buscar maior agilidade na aprovação dos projetos arquitetônicos pelos órgãos competentes. Desde novembro é aguardada a aprovação pela Vigilância Sanitária do projeto de reforma da Central de Material Esterilizado


Fonte: IDTECH / HGG






IDTECH - Todos os direitos reservados

Rua 01, Qd. B-1, Lt. 03/05 nº 60 - Térreo, Setor Oeste, Cep. 74115-040, Goiânia/GO
Telefone: 62 3209-9700