Goiânia, 22 de julho de 2017    




Notícias

(11/09/2013) Corrimãos do HGG ganham identificação em braile

Objetivo é tornar o hospital acessível a pessoas com deficiência visual, permitindo sua orientação dentro da unidade

Todos os corrimãos do Hospital Alberto Rassi - HGG estão recebendo placas metálicas com identificação em braile para orientar pessoas com deficiência visual dentro da unidade. Esta é mais uma medida adotada pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech) para tornar o hospital plenamente acessível. As placas estão sendo instaladas no início e no final de cada corrimão, informando o andar em que a pessoa se encontra.

O assessor administrativo Henrique Torres, da Coordenação Administrativa e Financeira do Idtech, acredita que até a próxima semana o trabalho de identificação estará concluído. Ele explica que o custo já estava incluído no dos corrimãos do hospital. "É um investimento relativamente pequeno diante do valor enorme em termos de acessibilidade", diz Torres. "O que buscamos é proporcionar maior acessibilidade a todos".

Antes mesmo da conclusão, a intervenção já chama a atenção de pacientes e colaboradores. "Estou encantada com a sinalização em braile nos corrimãos e rampas. Isso é inclusão e humanização pura. Parabéns!", disse a psicóloga Andréa Thomé.

O auxiliar administrativo Roberto Soares Araújo nasceu com deficiência visual. Há sete anos colaborador do HGG, aprovou a iniciativa e deu sugestões. “Já conheço bem o hospital, mas em alguns momentos, quando tenho de subir vários andares, acabo me perdendo. As placas vão facilitar”, disse.

Deficiência
Dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que do total da população brasileira, 23,9% (45,6 milhões de pessoas) declararam ter algum tipo de deficiência. Entre as deficiências declaradas, a mais comum é a visual (3,5% da população), seguida de problemas motores (2,3%), intelectuais (1,4%) e auditivos (1,1%). Isso corresponde a 6,5 milhões de pessoas com alguma deficiência visual. Desse total, 528.624 são incapazes de enxergar (cegas) e 6.056.654 possuem grande dificuldade permanente de enxergar (baixa visão ou visão subnormal). Segundo a Fundação Dorina Nowill para Cegos, outros 29 milhões de pessoas declararam ter alguma dificuldade permanente para enxergar, ainda que usando óculos ou lentes.


Fonte: IDTECH






IDTECH - Todos os direitos reservados

Rua 01, Qd. B-1, Lt. 03/05 nº 60 - Térreo, Setor Oeste, Cep. 74115-040, Goiânia/GO
Telefone: 62 3209-9700