20/07/2021 - Prontuário afetivo é tema de webinar promovido pelo HGG



Encontro discutiu uma nova proposta de humanização em tempos de pandemia

O Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG promoveu na noite do dia 14 de julho um webinar com o tema "Prontuário Afetivo, uma nova proposta de humanização em tempos de pandemia". O evento contou com a participação das psicólogas hospitalares no HGG Carolline Borges e Camila Paiva, da médica residente de psiquiatria no HGG Maiara Sena, e da subdiretora-técnica de Clínica Médica do HGG Fábia Mara Gonçalves, como moderadora. As profissionais abordaram a importância que é "cuidar do amor de alguém" e que o prontuário afetivo permite esta aproximação entre o paciente, a equipe e a família.

A psicóloga Carolline destacou que o prontuário afetivo não é um instrumento novo no processo de humanização hospitalar, mas que em razão da pandemia, acabou sendo utilizado de uma forma mais constante nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), e também nas enfermarias. "O uso do prontuário afetivo propõe resgatar as subjetividades do sujeito que está internado e reforçar o vínculo entre o paciente, equipe e família. A gente nunca trabalha nenhum processo dentro das unidades hospitalares sem pensar nesse tripé [paciente, equipe e família]", afirma.

"O prontuário afetivo é uma forma que nós encontramos de instrumentalizar, de munir a equipe de saúde de informações daquele indivíduo, que antes não se tinha, para ser um facilitador do processo de comunicação verbal e não-verbal, e aí a gente consegue atingir a humanização", esclarece Carolline. Ao contrário dos prontuários convencionais, nele a equipe encontrará informações como: apelido, estado civil, um pouquinho da história do paciente, com quem ele mora, se tem filhos, com o que ele trabalha, o que ele gosta de comer, lembranças que vão trazer memórias afetivas para o pacientes e que são reunidas junto com uma foto para compor o documento.

Camila falou dos benefícios que o prontuário afetivo traz para o atendimento. "Para o paciente que está acordado, ele traz personificação; já para o paciente que está sedado, ele traz estímulo sensorial e cognitivo; para família, desde o momento de coleta de informações, o momento de escuta, de dizer quem esse paciente é, trata-se de um momento de acolhimento; e para equipe, o prontuário o aproxima e traz identificação com o paciente", afirma.

Para a médica Maiara, o prontuário afetivo é uma forma de suavizar a estadia do paciente na UTI. "Ao compreender o paciente como pessoa, o prontuário afetivo promove muitas mudanças, e elas são comprovadamente eficazes, não somente para o paciente, mas também para os familiares", pontua.

Assista a live completa no YouTube:




Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS