21/06/2022 - HGG realiza workshop sobre administração de oxigênio em pacientes



Profissionais de outras unidades de saúde do Estado de Goiás também participaram da capacitação

O Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG promoveu no dia 8 de junho, um workshop sobre atualizações da oxigenioterapia e os mecanismos fisiopatológicos da toxicidade do O², para as equipes de Fisioterapia e Enfermagem do HGG, e para convidados de outras unidades de saúde e universidades do Estado de Goiás. Durante a palestra, os presentes tiveram um momento prático, onde puderam avaliar manualmente as interfaces de administração de oxigênio.

A fisioterapeuta e residente de Endocrinologia do HGG, Thaynara Nunes dos Santos, conduziu a palestra de forma prática. A profissional explicou que o workshop foi uma reciclagem para relembrar as especificidades do uso de oxigênio em pacientes. “Para ofertar oxigênio a um paciente é necessário avaliar diversos critérios, desde a enfermidade do mesmo, até a via que vamos utilizar para administrar o medicamento. A dosagem tem que ser muito bem avaliada, pois ao receber uma quantidade superior ao necessário, pode haver complicações, gerando até óbitos.”

A profissional contou ainda que a dúvida predominante durante a capacitação foi sobre a via de administração do oxigênio. “O tipo de interface utilizada nos procedimentos é muito importante, devem ser avaliadas de forma minuciosa, pois algumas podem ofertar mais oxigênio do que o esperado.” A fisioterapeuta também explicou que alguns pacientes têm a permissão para fazer uso da oxigenioterapia em casa. “Nesses casos, a família recebe uma preparação para saber administração o oxigênio. Além disso, a residência também é vistoriada para verificar se a estrutura é segura e pode receber o equipamento”, explicou.

Patrícia Carvalho de Resende é técnica de enfermagem no HGG, e contou que também teve dúvida em relação ao meio de administração do oxigênio. “Eu não sabia o que significava a coloração que tinha a máscara de ventura, não sabia que cada cor destinava um volume de oxigênio, que pode ser ofertado ao paciente. Inclusive, levantei para ver na prática as opções de interfaces disponíveis. Gostei muito de participar do treinamento, é sempre bom aprender e esclarecer dúvidas.”

A estagiária de Fisioterapia da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Nathália Mendonça, comentou que atua em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e que diariamente presencia a oferta de oxigênio aos pacientes. “A oxigenoterapia é muito interessante, tem muitos detalhes e parâmetros. Gostei muito de participar desse treinamento, agregou mais ainda os meus conhecimentos”, ressaltou.

Já a residente de Fisioterapia do Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), Jordana Alves Castro, comentou que o conteúdo da palestra estava atualizado. “Em alguns momentos já tive dúvidas em relação a dosagem do oxigênio. Com a explicação da palestrante, consegui compreender de forma fácil. Além disso, consegui absorver muitos conhecimentos que vão aprimorar meu atendimento no dia a dia.”




© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS