07/12/2018 - Idtech realiza treinamento de integração para novos colaboradores do Case de Anápolis



Intensivo foi promovido pela equipe da Gerência de Recursos Humanos do Idtech com a participação dos servidores da Secretaria Cidadã. A equipe também assistiu a orientações teóricas de combate a incêndio e primeiros socorros

Na segunda-feira, 3 de dezembro, 27 novos colaboradores que vão atuar no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Anápolis participaram de um treinamento de integração de equipe com palestras e orientações sobre as rotinas de trabalho na unidade. O treinamento intensivo foi realizado de 8h às 18h no auditório da unidade e contou com a participação do Grupo Executivo de Apoio a Crianças e Adolescentes – Gecria, vinculado à Secretaria Cidadã.

Os novos colaboradores contratados foram aprovados em processo seletivo realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico Humano (Idtech), organização social que administra a unidade socioeducativa desde agosto deste ano. Dentre os contratados estão psicólogo, nutricionista, assistente social, pedagogo, educador social, instrutor de informática, técnico de enfermagem, auxiliar administrativo e motorista.

O intensivo foi promovido pela equipe da Gerência de Recursos Humanos do Idtech com a participação dos servidores do Gecria, Emiliano Rivello Alves e Bruna Facco de Melo.

Integração

No primeiro módulo do treinamento os colaboradores participaram de dinâmicas de apresentação pessoal e assistiram a vídeos institucionais sobre a história do Idtech e os projetos desenvolvidos ao longo dos 13 anos de atuação em Goiás. Em seguida, o servidor da Gerência da Criança e do Adolescente, vinculada ao Gecria, doutor em Sociologia Emiliano Rivello Alves explicou aos novos colaboradores como funciona a dinâmica das unidades socioeducativas, apresentou o regimento comum às unidades goianas e tirou dúvidas dos participantes sobre as principais dificuldades na rotina de trabalho.

“Precisamos entender que o sistema socioeducativo é diferente de qualquer outro sistema de privação de liberdade. Estamos lidando com adolescentes que carregam uma bagagem pesada, com histórico de conflitos na família e estereótipos de uma sociedade que tem dificuldade de compreender todo esse processo. Precisamos sempre de colaboradores que estejam dispostos a fazer do socioeducativo um lugar que estimule nesses jovens um desejo de mudança e a busca por um destino melhor. Foi muito produtivo o treinamento e acredito que essa turma vai se adaptar bem depressa”, declarou Emiliano.

Para o novo colaborador, contratado para atuar como psicólogo do Case, Jean Costa Santana, o treinamento foi muito produtivo. “Foi claro, objetivo e muito importante para toda equipe que aqui está sendo formada. Estou muito animado e espero contribuir da melhor forma possível e que junto à equipe possamos atuar de forma multidisciplinar”, disse.

A gerente do Sistema Socioeducativo do Gecria, a psicóloga Bruna Facco de Melo, e a coordenadora pedagógica do Case de Anápolis, Ana Alice Cunha, apresentaram o projeto político pedagógico da unidade e explicaram sobre a importância da educação formal na rotina dos adolescentes. “É necessário que se pratique aqui dentro da unidade a pedagogia da presença. A escola para os adolescentes é muito mais do que uma simples relação de ensino-aprendizagem, ela é uma reconstrução, uma perspectiva de recomeço. E todos aqui vão perceber que cada dia de trabalho é um aprendizado diferente e estou confiante que vamos todos atuar em prol dos adolescentes porque a unidade é deles e deve funcionar de forma integrada e harmônica”, sublinhou.

No período vespertino os novos colaboradores receberam orientações da equipe de segurança da unidade, liderada pelo Sargento Seir Noronha, e fizeram um tour pelas alas, área administrativa e refeitório.

Incêndio e Primeiros Socorros

Na terça-feira (4), os novos colaboradores participaram de um treinamento de combate a incêndio e capacitação de primeiros socorros. O curso integrou aulas práticas e teóricas e foi ministrado pelo engenheiro de segurança do trabalho, Wilmar Felipe Manzi Neto. O palestrante ressaltou que o treinamento é um suporte fundamental para que os colaboradores saibam agir em situações de periculosidade, “sobretudo se tratando de unidade socioeducativa, em que o risco de incêndio é maior”, completou.




© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS