22/04/2019 - AMA promove palestra sobre a doença de Parkinson



Usuários do Ambulatório puderam tirar as suas dúvidas com o residente em Neurologia do HGG, Paulo Abner. Enfermidade afeta cerca de 400 mil brasileiros

Os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que aguardavam por consultas ou procedimentos no Ambulatório de Medicina Avançada (AMA) do Hospital Estadual Alberto Rassi (HGG) na manhã desta quarta-feira, 17 de abril, tiveram a oportunidade de retirar todas as suas dúvidas e conhecer sobre os sintomas e alertas da doença de Parkinson. Na última quinta-feira, 11, foi celebrado o Dia Mundial de Conscientização da enfermidade descoberta há 201 anos e que já é considerada a segunda doença neurodegenerativa progressiva mais frequente no mundo, perdendo apenas para o Alzheimer.

Semanalmente, o AMA promove palestras de temas importantes do calendário da saúde mundial. Hoje, a palestra foi ministrada pelo residente de Neurologia do HGG, Paulo Abner, que falou sobre o reconhecimento precoce do Parkinson para um controle adequado e melhoria da qualidade de vida do parkinsoniano. “Temos que desmistificar a enfermidade para que não haja preconceito, já que ela não é contagiosa. Não há cura, mas tem controle. As pessoas têm que ficar atentas a tremores quando estiverem em repouso além de rigidez no corpo. Atualmente, há uma grande opção de remédios e até intervenções cirúrgicas que melhoram a qualidade de vida do doente”, alertou.

Aparecida Augusta de 54 anos aproveitou que aguardava ser chamada para a sua consulta e tirou as suas dúvidas com o neurologista. “Minha filha tem 33 anos e treme muito. Mas foi ótima a palestra, pois segundo o doutor Paulo ela é jovem e o seu caso não deve ser Parkinson. Me senti mais aliviada e aprendi algo novo com as boas informações repassadas por ele”, contou agradecida.

Enfermeira supervisora do AMA, Graziela Freire Cavalcante, responsável pelo setor há sete anos explica sobre a importância das ações. “Até no momento de espera por uma consulta, o paciente que recebe assistência no HGG é beneficiado. As palestras contêm muitas informações relevantes. Conhecimento nunca é demais. Então, nossos usuários saem daqui sabendo de algo a mais que pode ser útil no seu cotidiano”, afirmou.

A doença

A Doença de Parkinson afeta mais de 6 milhões de pessoas no mundo (1% da população mundial acima de 65 anos, segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde). 10% dos casos iniciam antes dos 45 anos. 10% dos casos podem ser genéticos.

A Doença de Parkinson é a segunda enfermidade neurodegenerativa mais comum no mundo e com grande impacto na qualidade de vida. Além dos tremores, há outros sintomas motores e não motores que caracterizam a doença, como lentidão de movimentos, alterações de postura e equilíbrio, distonias e mudanças da expressão facial, fala e deglutição, entre outros. Apesar de não ter cura, os pacientes têm à sua disposição opções terapêuticas capazes de retardar o avanço da doença e prolongar a qualidade de vida. Estima-se cerca de 400 mil brasileiros com a doença e uma parcela de casos ainda não diagnosticados.




© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS