26/07/2019 - Ações no HGG orientam sobre hepatites virais



Em alusão Dia Mundial de Luta contra as doenças, HGG disponibilizou testes rápidos para a população nesta quarta-feira, 24 de julho

Claudenice Barbosa leu no jornal sobre o aumento de casos de hepatites e não pensou duas vezes: correu para o Hospital Estadual Alberto Rassi - HGG para realizar o teste rápido para detecção de hepatites virais, em uma ação especial de alerta sobre as doenças. Moradora da cidade de Goianira, ela conta que foi uma das primeiras a chegar à tenda instalada na Praça Abrão Rassi para receber o atendimento gratuito. “Eu sou doadora de sangue e não posso ter esse tipo de doença. Como estou de férias, aproveitei para conferir a saúde. E está tudo bem, graças a Deus!”, disse a mulher que trabalha como motorista.

No total, 180 pessoas foram atendidas na edição especial do projeto Saúde na Praça, alusivo ao Dia Mundial de Luta contra Hepatites Virais. Entre os serviços oferecidos estão os testes rápidos para detecção de hepatites, aferição de pressão, orientações com médicos gastroenterologistas, profissionais da fonoaudiologia, psicologia, nutrição e fisioterapia. Com 42.383 casos no ano passado, as notificações de hepatites virais no Brasil tiveram um salto de 20% nos últimos 10 anos, segundo o Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais 2019, divulgado em julho pelo Ministério da Saúde.

O mais letal deles, o tipo C, é também o mais comum, sendo que foram notificados no País 26.167 casos no ano passado. Outras 500 mil pessoas, segundo estimativa do ministério, convivem com a doença e ainda não foram diagnosticadas. De acordo com a médica gastroenterologista do HGG, Maíra Costa, a hepatite é uma inflamação do fígado e pode ser causada por vários fatores. “Estamos no mês do Julho Amarelo, que alerta especificamente sobre hepatites virais. Existem cinco tipos de hepatites, porém no Brasil os principais são as do tipo A, B e C. O foco dessa ação é alertar sobre os casos que cronificam que são a B e C. Elas são assintomáticas e a pessoa só percebe quando tem algo mais grave como cirrose e câncer no fígado, por exemplo”.

Palestra

Inserido nas ações de alerta para o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, a residente da especialidade de gastroentologia do HGG Fanny Gonçalves esteve no Ambulatório de Medicina Avançada (AMA) do HGG nesta quinta-feira, 25 de julho, para explicar sobre as formas de tratamento e prevenção da doença. Ela explicou que as doenças são silenciosas e que no mundo existem 71 milhões de pessoas infectadas pelo vírus da hepatite C, sendo que desses, 400 mil vão morrer, ou por cirrose ou por câncer de fígado. “Nos últimos anos os diagnósticos têm aumentado porque as pessoas estão procurando mais os médicos. O SUS hoje oferece tanto a vacina para a hepatite B, quanto o tratamento para a hepatite C. Então é preciso realizar a prevenção”, disse.




© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS