12/09/2019 - Mão gigante e caixa reveladora de bactérias conscientizam sobre higienização correta das mãos no HGG, nesta sexta-feira



Saúde na Praça será realizado na manhã do dia 13 de setembro, o foco da ação, em alusão ao Dia Mundial da Sepse. Objetivo é mostrar importância da higienização das mãos

Você já parou para pensar que o simples ato de lavar as mãos pode prevenir diversas doenças, inclusive infecções graves? Nesta sexta-feira, 13 de setembro, o projeto Saúde na Praça do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG irá orientar a população que passar pelo local sobre a importância da higienização correta das mãos. Um totem que reproduz uma mão gigante estará no local alertando a população. Será possível ainda fazer o teste em uma caixa reveladora de bactérias. O objeto possui uma luz negra, e ao passar um simulador de germes nas mãos, a pessoa consegue enxergar as bactérias que não são visíveis a olho nu.

A ação é alusiva ao Dia Mundial da Sepse (popularmente conhecida por infecção generalizada) e acontece das 7 às 12 horas, na Praça Abrão Rassi localizada em frente à unidade de saúde. De acordo com a gerente do Núcleo de Educação Continuada, Fabrícia Cândida, o intuito é aproveitar a data para lembrar as pessoas que a higienização correta das mãos previne diversas infecções, inclusive a sepse.

Além disso, serão oferecidos serviços gratuitos de aferição de pressão, teste de glicemia e orientações com médicos infectologistas, nutricionistas que vão explicar sobre a importância de higienizar os objetos corretamente, fisioterapeutas que abordarão sobre os benefícios de movimentar o corpo, fonoaudiologia sobre cuidados com a voz, psicólogos explicarão sobre autocuidado, entre outros.

Sobre a sepse
A sepse, popularmente conhecida por infecção generalizada, é uma resposta sistêmica do organismo a uma infecção, que pode ser causada por bactérias, vírus, fungos ou protozoários. Normalmente, o sistema imunológico entra em ação para atacar a infecção e impedi-la de se espalhar. Mas, se ela consegue avançar pelo corpo, a defesa do organismo lança uma resposta inflamatória sistêmica na tentativa de combatê-la. Qualquer processo infeccioso – seja uma pneumonia ou infecção urinária – pode evoluir para um quadro de sepse.
A sepse é a principal causa de morte nas UTIs e uma das principais causas de mortalidade hospitalar tardia, superando o infarto do miocárdio e o câncer. A mortalidade pela doença é alta no país, chegando a 65% dos casos, enquanto a média mundial está em torno de 30 a 40%. Por necessitar de equipamentos sofisticados, medicamentos caros e exigir muito trabalho da equipe médica, a doença é a principal geradora de custos hospitalares.

Estima-se que a sepse atinge de 15 a 17 milhões de pessoas por ano no mundo, sendo 600 mil só no Brasil. Segundo o estudo do Instituto Latino Americano de Sepse (Ilas), a sobrevivência dos doentes aumenta muito se eles forem transferidos para unidades de tratamento intensivo (UTI) nas primeiras 24 horas após a identificação da doença.

Serviço:
Saúde na Praça – Dia Mundial da Sepse
Data: 13/09/2019 (sexta-feira)
Horário: 7h às 12h
Local: Praça Abrão Rassi - em frente ao Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG



© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS