30/09/2019 - Em comemoração ao Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos, HGG realiza 185 atendimentos



Evento contou com apresentação da Banda do Corpo de Bombeiros, atividades lúdicas e cadastro para doadores de medula óssea

O som da banda do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBM-GO) ecoou na região do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG. Os olhos atentos e curiosos do público que passava pelo local indagavam o que estava acontecendo ali. Em uma ação especial, a unidade hospitalar realizou diversas atividades para comemorar o Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos, e a banda do CBM-GO abriu a programação. Além de orientar a população sobre a importância da doação, o projeto Saúde na Praça ofereceu serviços gratuitos como aferição de pressão e testes de glicemia.

A aposentada Lourdes Aparecida dos Reis passava pela rua quando percebeu a movimentação e aproveitou para conferir a saúde. Ela concorda com esse tipo de ação e explica que já avisou a sua família sobre sua vontade. “Acho que todo mundo tem que doar, já comuniquei a minha família, quero que outras pessoas sejam beneficiadas. Pensa o quanto seria maravilhoso outra pessoa enxergar com os meus olhos”, exemplificou a senha que participou de todas as dinâmicas na tenda montada na Praça Abrão Rassi.

Quem fez questão de participar da ação foi o primeiro paciente do HGG a passar por um transplante hepático: o advogado Marcelo Mazão. Ele passou pelo procedimento há pouco mais de um ano se emociona ao relembrar do tratamento que recebeu na unidade. “Minha vida melhorou demais, porque eu não nasci de novo. Eu tinha três nódulos de câncer, mas graças a Deus consegui ao transplante. Agradeço a Deus e também aos anjos em forma de médicos que ajudaram a salvar a minha vida. Eu sou muito grato”, declarou.

Marcelo explicou que leva uma vida normal. Se antes estava condenado a morte, hoje aproveita cada segundo de vida. “Eu trabalho, dirijo e como normalmente. Sobre a alimentação muita gente me pergunta o que eu sou proibido de comer, e eu respondo: a mesma coisa que você, mas que de atrevido come incluindo frituras, refrigerantes, sucos industrializados”, brincou. “Acho esse tipo de campanha muito importante e acho que deveria existir uma lei que respeitasse a última vontade da pessoa e não deixasse para a família decidir. Era pra eu estar morto há muitos meses, mas graças a uma família que autorizou a doação eu estou aqui fazendo essa entrevista”.

Durante toda a manhã desta sexta-feira, 27 de setembro, profissionais abordaram temas como morte encefálica, quem pode doar órgãos, o consentimento da família e como funciona cada tipo de doação, atendendo 185 pessoas. Ocorreram ainda atividades lúdicas, como o Jogo dos Encaixes, em que participantes colocaram em um banner os órgãos que podem ser doados, a roleta de mitos e verdades e a cabine Hora de Lembrar, que explicou sobre consentimento familiar para a doação. O Hemocentro de Goiás também participou da ação cadastrando 85 voluntários para doação de medula óssea.

O médico intensivista e diretor técnico do HGG explicou que a ação teve o intuito de desmitificar o tema. “É importante que as pessoas se conscientizem sobre a nobreza e altruísmo que é doar os órgãos. No momento de dificuldade que aquela família tem uma pessoa que falece por algum acidente, por exemplo, ter este ato de nobreza de pode perpetuar a vida de uma pessoa que está presa a uma máquina de hemodiálise, pessoa com problema hepático, pessoas que não enxergam, pessoas que podem ser salvas através de um transplante. É importante a pessoa expressar que é doadora para que os familiares saibam. O nosso objetivo hoje, além de oferecer saúde, é mostrar de uma forma simples e lúdica como funciona o processo de doação de órgãos”.

Sobre os transplantes no HGG

De acordo com o Registro Brasileiro de Transplantes (RBT), o HGG é o maior transplantador de rins do Centro-Oeste. Desde 2017, quando a unidade passou a realizar este tipo de procedimento, 312 transplantes foram realizados, com destaque para o mês de agosto de 2019 que apresentou o melhor quantitativo desde o início: 23 transplantes. Dos 303 transplantes renais realizados, 37 foram doadores vivos e 275 doadores cadáveres. O HGG também realiza transplantes hepáticos. Desde 2018, a unidade já realizou 11 procedimentos.

A Lei Federal 11.584/2007 institui o dia 27 de setembro como o Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos. Com base nisso, durante todo o mês são realizadas ações e eventos em comemoração ao Setembro Verde. A cor verde é adotada para representar a saúde, esperança e a liberdade. Um misto de símbolos para reverenciar uma data tão especial, que agradece o altruísmo e o amor ao próximo, demonstrado pela figura do doador. Para comemorar a campanha, a fachada do HGG ganhou iluminação especial alusiva à cor do movimento. Uma exposição com depoimentos de pacientes que passaram por transplante de rim e fígado pode ser conferida na recepção, em frente ao refeitório.




Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS