30/10/2019 - Saúde na Praça alerta sobre risco de AVC



Ação aconteceu nesta terça-feira, 29 de outubro, na Praça Abrão Rassi

Os dados são alarmantes. Uma em cada quatro pessoas sofrerão um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ao longo da vida. No mundo, a cada seis segundos uma pessoa morre em decorrência do AVC. Mas afinal, você sabe o que é e como socorrer quem apresenta os primeiros sintomas da doença? Para esclarecer essas e outras dúvidas, o Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG promoveu nesta terça-feira, 29 de outubro, o projeto Saúde na Praça, alusivo ao Dia Mundial do AVC.

Além de profissionais do Serviço de Neurologia da unidade, a ação na Praça Abrão Rassi contou com orientações multidisciplinares incluindo fonoaudiologia, psicologia, nutrição e fisioterapia. Também foram oferecidos testes gratuitos de glicemia e aferição de pressão. O neurologista Marco Túlio Araújo Pedatella explicou que o AVC afeta mais homens, porém todos devem estar atentos.

“O AVC é causado pela interrupção do fluxo de sangue para o cérebro, seja pela obstrução ou ruptura do vaso. Existem dois tipos, o isquêmico e o hemorrágico. Entre os sintomas, é preciso ficar atento quando ocorrer perda de força súbita, perda de sensibilidade, alteração na fala, perda da visão, dor de cabeça fora do padrão habitual e de forte intensidade, desequilíbrio, perda de coordenação motora, entre outros. Na detecção de qualquer um desses sintomas é importante procurar a emergência de forma rápida. As primeiras horas são fundamentais para diminuir o risco de sequelas dos pacientes”, explicou o médico.

A dona de casa Maria Edileusa de Alencar explica que após ver o anúncio da ação na televisão, resolveu participar para conferir a saúde. “Achei muito bom, porque tem hora que a gente precisa tirar a dúvida com um médico e não tem. Já é a segunda vez que participo desse projeto na praça e estou gostando bastante. Tenho um irmão que sofreu um AVC e recebi as explicações dos médicos, esclareceu muita coisa. Sobre a minha saúde, apesar de não ter tomado café da manhã, a minha glicemia está bem alta, e a nutricionista me orientou a fazer dieta e exercícios físicos para prevenir diabetes”.




© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS