07/08/2020 - HGG celebra Dia Nacional de Combate ao Colesterol com vídeo informativo



Iniciativa foi pensada para manter a sociedade informada durante a pandemia do novo coronavírus

Neste dia 8 de agosto comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Colesterol. A data foi instituída para chamar a atenção da sociedade quanto a essa doença silenciosa, mas que pode levar à morte. Embora assintomática, a alta taxa de colesterol no sangue é o principal causador de doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC), que são condições clínicas com alto risco de morte, representando cerca de 30% dos óbitos registrados em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Todos os anos, o Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG realiza uma edição especial do projeto Saúde na Praça para abordar a temática do Colesterol junto à população. Este ano, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a ação está temporariamente suspensa. Para que a sociedade continue bem informada sobre o tema, a unidade preparou um vídeo sobre os principais pontos relacionados à doença, abordados pela médica endocrinologista do HGG, Patrícia Rabelo, que será disponibilizado nas redes sociais do hospital.

De acordo com ela, o colesterol é uma gordura essencial para a produção de uma série de hormônios no corpo humano e que seu risco está agregado ao excesso, que provoca alterações relacionadas ao acúmulo de placas de gordura nas paredes das artérias, impedindo o fluxo sanguíneo. Esse acúmulo, chamado de aterosclerose, é o responsável pelas causas de AVC e infartos. "Quando há um excesso de colesterol circulante em nível sanguíneo, ele pode ser depositado nas artérias e isso vai levar a uma reação inflamatória, formando ali uma placa de ateroma, que pode aumentar de volume. O sangue, por sua vez, precisa passar por uma artéria que esteja limpa. Se essa artéria está cheia de placas, o sangue encontra resistência para chegar aos órgãos. Quando isso ocorre e a artéria é obstruída, o sangue deixa de circular, causando problemas sérios de saúde, como os infartos e AVCs", enfatiza a endocrinologista

Ainda segundo a médica, um dos principais motivos das alterações na taxa de colesterol é a má alimentação aliada ao sedentarismo. Nos adultos, o sobrepeso é um dos fatores de risco, além da questão genética hereditária. Para prevenir o problema, ela ressalta a necessidade da adoção de hábitos saudáveis no dia a dia. "Quando levamos um estilo de vida mais saudável, nos alimentamos bem e praticamos exercícios físicos regularmente, a chance de termos as taxas metabólicas nos níveis recomendados, incluindo aí, além do colesterol, também a glicemia, é muito maior. Na alimentação é preciso se preocupar com a ingestão adequada de água, comer mais frutas, legumes e verduras e evitar alimentos industrializados, que são ricos em gorduras trans. E, ao consumir gorduras, priorizar as saudáveis, como as presentes em castanhas e azeites, em frutas como abacate e coco, além de moderar o consumo de gorduras de origem animal", destaca a Patrícia.

Para identificar a taxa de colesterol na corrente sanguínea é necessário realizar um exame de sangue, que mostrará qual a taxa de LDL (colesterol ruim, pois leva a gordura do fígado para os demais órgãos) e HDL (colesterol bom, pois retira a gordura do órgãos e a leva para o fígado, que a elimina do organismo). Com os exames em mãos, a avaliação de um profissional da saúde é essencial para o diagnóstico preciso.





© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS