08/09/2020 - Família evangélica encanta pacientes com apresentação musical no Sarau do HGG



Projeto segue acontecendo de forma on-line devido à pandemia da Covid-19

A 17ª edição on-line do Sarau do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG dessa quinta-feira, 3 de setembro, reuniu uma família evangélica aqui da capital para cantar músicas cristãs e pop para os pacientes, acompanhantes e colaboradores do hospital. O pastor Jairo Júnior, a sua esposa Sheila Carvalho e as duas filhas Ana Clara e Ana Beatriz Carvalho entoaram louvores como "Descansarei", "Me Convém Diminuir" e temas de grandes clássicos como "Meu Coração Vai Ser Sempre Estar", tema do filme Tarzan, "Bohemian Rhapsody", de Queen. O violinista da Orquestra Sinfônica do Estado de Goiás, Frederick Neves, também participou da apresentação fazendo dueto com Jairo Júnior em uma série de músicas instrumentais.

Para o paciente Parladino Martins, 65 anos, que já está internado há mais de 20 dias, tratando uma infecção renal, os saraus das quintas-feiras já entraram na rotina hospitalar. O primeiro deles, ele conta que acompanhou da janela, enquanto os cantores Elen Lara e Dámon Farias se apresentavam no Jardim da Solistência. Depois foi a vez de ouvir a pianista Suzana Fialho, que se apresentou na última quinta-feira, no hall da recepção Central. "Hoje tive uma surpresa muito boa quando a caixa de som começou a ecoar os louvores. Quantas pessoas neste hospital estão como eu, sozinhas, algumas até em depressão, e Deus encontra essa forma de falar com elas", disse.

Em outra ala, a paciente Leila Pereira, 51 anos, também estava atenta ao celular. Moradora da Vila Nova, Leila contou que há alguns dias levou um susto quando se consultou com uma hematologista, descobriu que tinha a doença de lúpus, e logo foi encaminhada para ser tratada no HGG. "Cheguei aqui ontem e só posso agradecer por todos que estão cuidando de mim e me tratando tão bem. Dá muita paz saber que tem tanta gente preocupada com a gente aqui, até na nossa alegria fazendo um tipo de trabalho como esse de nos enviar músicas no celular. Isso coloca a gente para cima", afirma.

No mesmo quarto que Leila, a paciente Alba Souza, 41 anos, também ficou curiosa com o projeto do Sarau. Ela conta que chegou ao hospital com suspeita de problemas cardíacos, mas foi diagnosticada uma falha nos rins. Agora, ela iniciará um tratamento com hemodiálise, enquanto aguarda um transplante renal. "Graças a Deus que descobriram logo o que eu tinha e agora já estou melhor. Se Deus quiser não vai demorar aparecer um rim para eu fazer esse transplante, até lá eu estou sendo muito bem atendida aqui, as enfermeiras são muito atenciosas, os médicos também".

O pastor Jairo Júnior conta que se sentiu honrado com o convite para do projeto de humanização do HGG e agradeceu pela oportunidade de levar alegria a todos no hospital. "A gente sabe que a música é uma arte terapêutica, então ela também abençoa as nossas vidas. Para mim e para minha família foi um privilégio poder participar desse projeto tão bonito do HGG", pontua.



© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS