07/10/2020 - Hemorrede Pública de Goiás apoia Simpósio Brasileiro de Doença Falciforme



Evento ocorrerá totalmente de forma on-line nos dias 29, 30 e 31 de outubro

A Hemorrede Pública de Goiás apoia o grupo de extensão e pesquisa "Educar Falciforme" na realização do I Simpósio Brasileiro Multiprofissional em Doença Falciforme (SBMDF), que ocorrerá nos dias 29, 30 e 31 de outubro. O evento será on-line, gratuito e terá o apoio de ligas acadêmicas, grupos de pesquisa e programas de pós-graduação lato e scricto sensu da Universidade Federal de São João del Rei, Campus Centro- este Dona Lindu (UFSJ- CCO), localizada em Divinópolis, Minas Gerais, Brasil.

O simpósio é direcionado a acadêmicos e profissionais de todo o Brasil e possui como objetivo disseminar e agregar conhecimento acerca da Doença Falciforme, uma das doenças genéticas hereditárias mais comuns do mundo, porém, muitas vezes negligenciada. Haverá submissão de trabalhos científicos, publicação de anais e emissão de certificados.

Sobre a doença

A Doença Falciforme é uma patologia genética hereditária que tem como característica a alteração nos glóbulos vermelhos do sangue, as hemácias. Segundo a diretora-médica da Hemorrede Pública de Goiás, Alexandra Vilela, a unidade do Governo do Estado mantém o atendimento continuado de 206 pacientes, oferecendo consultas especializadas, atendimento multiprofissional, hemogramas e transfusão de sangue. "Quem tem a doença falciforme, ou anemia falciforme, precisa de tratamento durante toda a vida, e em muitos casos, essas pessoas precisam de transfusões constantes de hemácias, que é um dos hemocomponentes do sangue, por isso a importância da população em manter suas doações frequentes", diz.

Para diagnosticar a Doença Falciforme é necessário realizar o teste do pezinho na primeira semana de vida. A cada ano, 2,5 milhões de recém-nascidos fazem o exame de Doença Falciforme pelo Sistema Único de Saúde (SUS) – ou seja, 85% das crianças que nascem no país. Atualmente, 30 mil pessoas estão cadastradas nos Hemocentros de todo o país, onde são acompanhadas por profissionais do SUS. Os principais sintomas da Doença Falciforme são a anemia crônica, icterícia (cor amarelada na parte branca dos olhos), mãos e pés inchados e com muita dor nos punhos e tornozelos (frequente até os dois anos de idade) e crises de dores em músculos, ossos e articulações.


Programação

Dia 29
18h - Abertura
18h30 - Atenção à Doença Falciforme na Atenção Primária à Saúde
Palestrante: Hematologista Pediátrica: Adriana Leal Luciana da Silva (UFRJ)
19h30 - Representações sobre o corpo e a Doença Falciforme e suas repercussões sobre a vida cotidiana, o cuidado e a sexualidade
Palestrante: Profª. Drª. Evanilda Souza de Santana Carvalho (UEFS)
20h20 - Apresentação de Trabalhos

Dia 30
18h - Mortalidade por Doença Falciforme no Brasil
Palestrante: Enfermeira Profª. Drª. Aline Silva Gomes (UEFS)
19h - Dificuldades e Intervenções com Famílias de Crianças e Adolescentes com a Doença Falciforme
Palestrante: Enfermeira Profª. Drª. Maria Angélica Marcheti (UFMS)
19h50 - Os Aspectos nutricionais no Cuidado do portador de Doença Falciforme
Palestrantes: Nutricionista Profª. Drª Mariana Ribeiro de Almeida Lana Nutricionista Amanda Maria Batista

Dia 31
9h - Saúde Mental e Direitos da Pessoa com Doença Falciforme
Palestrantes: Enfermeira Profª. Drª. Edilene Aparecida Araújo da Silveira Advogada Sara de Fátima dos Santos Araújo
9h50 - Apresentação de Trabalhos
10h30 - Importância da Saúde Bucal para as Pessoas com Doença Falciforme
Palestrante: Cirurgiã Dentista Ana Cristina Diniz Garcia Leão


Para mais informações sobre o I Simpósio Brasileiro Multiprofissional em Doença Falciforme, basta acessar os perfis do evento nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/simposiosbmdf (@simposioSBMDF)

Facebook: www.facebook.com/simposio.doencafalciforme.3



© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS