03/11/2020 - Mutirão do diabetes no Cead atende mais de 1,2 mil pacientes



Ação é uma parceria entre HGG e Fundação Banco de Olhos

O Hospital Estadual Alberto Rassi - HGG e a Fundação Banco de Olhos de Goiás (Fubog) realizaram entre os dias 8 e 29 de outubro um mutirão de atendimentos para os usuários do Centro Estadual de Atenção ao Diabetes (Cead). A ação realizou 1.259 atendimentos, sendo 512 de oftalmologia, 399 de fisioterapia e 348 de nutrição. Segundo a gerente do Cead, Cristina Pereira, 512 pacientes da unidade, que já tinham encaminhamento para atendimento oftalmológico, foram chamados para participar da ação por meio de contato telefone, por onde também foi feito o agendamento dos serviços oferecidos. "Devido ao momento de pandemia que estamos vivendo, todos os cuidados necessários foram tomados para que não ocorresse nenhum tipo de aglomeração no Cead". Além disso, todos os pacientes foram orientados a usar máscara, fazer a higienização das mãos assim que chegam na unidade e utilizar álcool em gel.

Roberto Sanche, de 62 anos, descobriu que tem diabetes há oitos anos e há quatro realiza acompanhamento no Cead. Ele fala da satisfação de ter um centro como esse em Goiânia. "Aqui eu recebo um tratamento de primeira qualidade: endocrinologista, psicólogo, nutricionista e podólogo, sem contar que o agendamento é sempre feito com antecedência, não preciso ficar em fila esperando, chego aqui e sou muito bem tratado por todos", conta. Ele foi um dos 512 pacientes que passaram pelo exame de retinografia, que será avaliado por um oftalmologista da Fubog.

A diretora de enfermagem do HGG, Natalie Alves, explica que todos os pacientes que, após avaliação dos oftalmologistas da Fubog, apresentarem a forma grave de retinopatia diabética serão chamados para passar pelo atendimento multidisciplinar no mês de novembro. "Além do exame de retinografia, os pacientes também fizeram uma série de exames, a maioria deles com resultado imediato: glicemia, HDL, colesterol, creatinina, eletrocardiograma do coração, ecodoppler da carótida, pé diabético, entre outros", informa.

Fubog
Segundo a médica oftalmologista da Fubog, Luciana Barbosa Carneiro, responsável pela ação, durante o Atendimento Digital Multidisciplinar do Diabetes serão repetidos os exames de retinografia de todos os pacientes que apresentaram a forma grave da doença. "O olho é o único órgão que possui transparência para microcirculação sanguínea, então, através do exame da retina do fundo olho eu consigo ver várias doenças do paciente como lúpus em atividade, sífilis, Aids e se ele tem diabetes descompensada ou não. Se tem alteração do olho, tem alteração grave dos outros órgãos,", esclarece. Todos eles passarão por uma fotocoagulação a laser da retina para tratamento da doença.

Paulo Renato Manso, governador do distrito LB2 Lions Internacional, que é responsável pela gestão da Fundação Banco de Olhos, fez questão de acompanhar alguns exames e conhecer o Cead. Ele conta que ficou impressionado com a estrutura e da importância de parcerias como essa entre a Fubog e o HGG. "Nós iniciamos esse projeto em 2013, e esta é a primeira vez que ele é feito em parceria com o HGG. Este ano, devido à pandemia, não foi possível fazer o mutirão como vínhamos fazendo todos os anos, mas estamos tomando todas as medidas de segurança sanitária para atender os pacientes do Cead", pontua.



Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS