11/12/2020 - Coordenadora do Núcleo de Apoio à Pesquisa do HGG participa da 4ª Jornada Científica da SES



Mesa virtual reuniu profissionais para debater o papel da pesquisa com foco na saúde coletiva

A advogada e coordenadora do Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP) do Hospital Estadual Alberto Rassi - HGG, Adriane Spíndola, participou nessa quarta-feira, 9 de dezembro, da 4ª Jornada Científica da Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES). Spíndola compôs a mesa virtual Pesquisas com Foco na Saúde Coletiva, ao lado da mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Edsaura Pereira, e o diretor-científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Marcos Fernando Arriel, com mediação da coordenadora de Pesquisa da SES, Karen Esber.

Adriane destacou o papel da pesquisa na saúde pública e a ampliação de assuntos abordados a partir da década de 1990. "Houve um aumento do número de doenças pesquisadas e suas implicações, além da inserção de ciências humanas e sociais, e assuntos relacionados, como doenças genéticas, transplantes, saúde mental, etc; foi isso que nos permitiu traçar estratégias para o enfrentamento de uma série de doenças". Para advogada, esses avanços devem ser comemorados. "Cada contribuição que damos para transformar a vida de tantas pessoas, nos motiva a continuar militando na área da saúde pública e coletiva", afirma.

Adriane, que também é membro titular da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), do Ministério da Saúde, ressalta o crescimento de projetos de pesquisa durante a pandemia do novo coronavírus. "Antes da pandemia nós nos reuníamos, em média, três vezes ao mês. Depois da pandemia, o volume de pesquisas aumentou tanto que já estamos há quatro meses fazendo reuniões on-line diárias". Para a advogada, os profissionais se dispuseram trabalhar mais e se doar ainda mais em busca de respostas para covid-19.

O diretor-científico da Fapeg destacou a atuação da Fundação e de editais que contemplam a área da saúde, como o Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS) e o chamamento emergencial realizado pela instituição, com o objetivo de identificar projetos de pesquisa e inovação em todas as áreas do conhecimento produzidas no Estado que pudessem contribuir para reduzir os impactos da pandemia de covid-19. "Entre 70 propostas submetidas, 13 foram indicadas como prioridade e estão em desenvolvimento graças a um investimento de R$ 1,2 milhão. Com isso, o Estado cumpre um papel fundamental no desenvolvimento da ciência em momento determinante", afirma Arriel.



© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS