19/03/2021 - Comunicação Não-Violenta é tema de palestra no HGG



Encontro faz parte de projeto destinado aos colaboradores da unidade de saúde

Os colaboradores do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG participaram, nos dias 17 e 18 de março, de mais um módulo do projeto ComunicAção. O tema abordado no encontro foi "Comunicação Não-Violenta". O projeto tem o objetivo de desenvolver a habilidade de comunicação dos colaboradores em diferentes níveis e necessidades. Ao todo, foram 173 pessoas que participaram da palestra. Para o mês de abril, a temática trabalhada será a técnica de comunicação para a passagem do plantão.

Para a gerente de Desenvolvimento de Pessoas do HGG, Érika Scarparo, o objetivo é desenvolver os colaboradores para uma comunicação mais aberta, na qual eles consigam repassar e receber as informações, observando as interferências, diminuindo o julgamento. "Ao conseguir trabalhar um pouco das técnicas da Comunicação Não-Violenta dentro da instituição temos uma somatória positiva na qualidade do atendimento e na humanização, além do processo de comunicação em si", complementa.

Para a técnica de Segurança do Trabalho Miralva Oliveira de Sousa a palestra irá ajudar a melhorar a comunicação com os colegas de trabalho. "É algo que pode ser aplicado tanto no ambiente de trabalho como no nosso círculo de amigos e familiares, com o objetivo de alcançar uma comunicação assertiva e coerente, na qual a gente consegue obter os melhores resultados nas atividades do dia a dia", comenta a técnica.

A facilitadora da palestra, a psicóloga hospitalar, especialista em Urgência e Trauma e em Cuidados Paliativos, Mariana Batista Leite Leles, explica que a comunicação não-violenta é um conceito desenvolvido por um psicólogo americano que ajuda muito nas relações interpessoais. "É um modo específico que nos ajuda a ter inteligência emocional e conseguir enxergar o que está por trás de determinadas ações, de determinadas falas. A gente aprende a mudar o nosso foco, a não levar situações de conflitos para o lado pessoal, e sempre tentar direcionar a nossa atenção para as necessidades e sentimentos que estão por trás daquela ação", explica a psicóloga.

Mariana enfatiza que cada pessoa tem um modo de funcionamento, teve uma criação diferente, experiências diferentes. "Então, quando a gente consegue se colocar no lugar do outro, através de uma postura mais empática, tem uma escuta mais qualificada que nos auxilia em nosso processo de comunicação e direcionar nossa atenção para essas necessidades do outro, assim como também, para os nossos sentimentos e necessidades, a gente consegue ter melhores resultados em nossas relações, e consegue uma comunicação mais eficiente", finaliza a psicóloga.




© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS