31/05/2021 - Escritório da Qualidade insere nova ferramenta para as análises críticas dos processos no HGG



Gestores participaram de oficina para utilizarem a ferramenta com seus colaboradores

Entre os dias 24 e 28 de maio, o Escritório da Qualidade do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG promoveu uma oficina voltada para os líderes da unidade, para apresentação da nova ferramenta utilizada para desenvolver as análises críticas dos indicadores. Segundo a coordenadora de planejamento do Escritório da Qualidade, Robertta Francyelle de Sousa, é muito comum que os gestores se deparem com problemas e situações recorrentes em diversas áreas e não consigam identificar ou medir de onde surgem as falhas que causam impacto no alcance das metas. "Com as dificuldades evidenciadas e para evitar que a situação se repita ou se torne uma tarefa mais complicada ainda, podemos utilizar o método Fato Causa Ação (FCA) como uma solução para detectar as causas centrais dos problemas de forma bem simples", explica.

O FCA pode ser usado para a constante melhoria desses procedimentos, incluindo os 5 Porquês e o PDCA, ambos métodos importantes, para auxiliarem no entendimento e na melhoria dos processos. De acordo com a coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), Estefany Izidório, o FCA será utilizado para auxiliar gestores nas tomadas de decisões e pode ser aplicado durante qualquer período dos processos, agindo como um facilitador na solução de problemas e melhorias.

O método também previne riscos e auxilia na aquisição de conhecimento aprofundado sobre os processos aplicados, podendo ser usado reativamente ou preventivamente. "O FCA pode ser utilizado nos mais diversos tipos de problemas, desde os que acontecem no processo produtivo até os processos assistenciais. A ideia da metodologia é aprofundar nas causas dos problemas, a fim de criar alternativas de ações e formular soluções que resolvam a situação", afirma Izidório.

Como fazer a análise por meio da metodologia FCA?
A análise FCA deve começar com a identificação do fato a ser analisado, seguir pelas possíveis causas que deram origem a esse problema e, por fim, passar pela formulação de um plano de ação para que essa eventualidade seja melhor controlada, tanto para fins negativos quanto positivos. Para que a análise FCA seja feita de forma mais completa e aprofundada, existem métodos que podem ser utilizados simultaneamente, como os 5 Porquês, que é uma ferramenta muito ligada à gestão da qualidade total e à melhoria contínua. "Ela consiste na repetição da pergunta Por que? diante da questão a ser aprofundada e, com ela, torna-se ainda mais fácil se chegar à raiz do problema com clareza. Dessa forma, o 5 Porquês é uma forma prática de focar na causa dos ocorridos e evitar que eles reapareçam em outras situações", esclarece Robertta.

"A boa utilização da metodologia FCA, junto com a técnica dos 5 Porquês ou de outros métodos para análise de processos, possibilita que o gestor e sua equipe consigam poupar tempo e recursos que, muitas vezes, são utilizados na reparação de problemas de forma precipitada. É muito comum o grupo agir focando nas situações mais aparentes e superficiais do problema, em vez de contra-atacar as causas reais", pontua.

Com a análise FCA, é possível aprofundar e conhecer melhor os fatos e suas particularidades, de forma que contribua para o desenvolvimento de uma cultura que preza pela disseminação de melhores práticas para os processos. Além disso, o conhecimento gerado pela constante análise é acumulativo, e ajuda a solucionar e reparar problemas semelhantes que possam surgir. Dessa forma, o FCA garante que os objetivos comecem a ser desenvolvidos, evitando que o plano se perca durante o processo, devido a falhas, com planos e ações elaboradas, ajudando a melhorar os resultados.



© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS