25/06/2021 - Ação no Hemocentro celebra Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+



Após um ano do fim restrição, entidades e órgãos governamentais se reúnem para incentivar doações

Há pouco mais de um ano, uma injustiça era corrigida pelo poder público ao derrubar a restrição de doação de sangue por homens que fazem sexo com homens. De lá para cá, a Hemorrede Pública do Estado de Goiás retirou a pergunta sobre sexualidade dos questionamentos feitos durante a triagem, dando maior liberdade ao doador. Para mostrar a importância deles e de todos integrantes do universo LGBTQIA+, o Hemocentro Coordenador prof. Nion Albernaz realiza uma ação nesta segunda-feira, 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, em parceria com a Gerência de Cuidados às Populações Específicas (Gerpop) da Secretaria de Estado da Saúde (SES), da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas de Goiânia e da Comissão de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Goiás (OAB-GO), além de movimentos LGBTQIA+.
Às 9 horas, representantes das entidades estarão no Hemocentro Coordenador recepcionando doadores. As doações, abertas a toda a população, podem ser agendadas pelo site https://agenda.hemocentro.org.br/ ou pelo telefone 0800-642-0457. Segundo a diretora-geral do Hemocentro, Denyse Goulart, o objetivo é mostrar que toda a população goiana é bem-vinda, independentemente da orientação sexual. “No caso da comunidade LGBTQIA+, por muito tempo houve o estigma em relação à doação de sangue. Essa ação tem o intuito de demonstrar que todas as pessoas são bem-vindas e que iremos apoiar a causa desse grupo.”
A secretária municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas de Goiânia, Cristina Afonso Lopes, segue a mesma linha, dizendo que o sangue, por si só, é uma demonstração de que somos todos iguais. “A doação de sangue é um ato de generosidade e compromisso coletivo. Sangue não faz distinções e é a prova de que somos todos iguais. O seu sangue pode salvar a minha vida e o meu pode salvar a sua. A doação feita por pessoas LGBTQIA+ é uma conquista que garante cidadania e salva vidas.”
Bianca Lopes, da Subcoordenação de Atenção à Saúde da População LGBT da Secretaria de Estado da Saúde (SES), aponta que a ação desta segunda é uma forma de se combater o preconceito. “Esta ação afirmativa do Hemocentro de Goiás em receber a doação de sangue irrestrita de pessoas LGBTQIA+ contribui com as ações institucionais de combate ao preconceito no Estado de Goiás. Reafirma que a Saúde e a ciência garantem segurança da Hemorrede, sobretudo ao romper com o ideário discriminatório e estigmatizante da existência de ‘grupos de risco’ e reforça a orientação correta, que são os ‘comportamentos de risco’”
Já a presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB-GO, Amanda Souto, primeira mulher trans a assumir uma comissão na seccional, pontua que a mudança de posição é o reconhecimento de um direito, que é de todos. “Doar sangue é um ato de cidadania, um direito que por muito tempo foi negado à comunidade LGBTQIA+, em especial aos homens gays e mulheres trans. Em 2020 o STF julgou a ADI 5543 entendendo que a proibição era meramente discriminatória. Nesse sentido, estamos muito felizes com a parceria com o Hemocentro e convidamos toda a comunidade, advogados ou não, LGBTQIA+ ou não. Doem Sangue, salvem vidas.”




Quer receber notícias e novidades do Idtech diretamente no seu e-mail?

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS