16/06/2021 - Colaboradores do Hemocentro Regional de Rio Verde passam por treinamento



Além de exercícios laborais e higienização das mãos, profissionais do laboratório passaram por curso de identificação de anticorpos

Os colaboradores do Hemocentro Regional de Rio Verde passaram por treinamentos no dia 14 de junho, ministrado por colaboradores do Hemocentro Coordenador prof. Nion Albernaz. Os colaboradores da área laboratorial passaram por um treinamento de identificação de anticorpos irregulares, processo até então realizado apenas na unidade goianiense da Hemorrede Pública de Goiás.

A biomédica Ana Paula Faleiro Ribeiro, responsável pelo treinamento, explica a importância do treinamento dado aos colaboradores da unidade de Rio Verde. “É um procedimento importante para garantir a segurança do paciente na transfusão. Caso tenha o anticorpo, o ideal é que seja identificado para que o sangue seja testado e garantir essa segurança para o paciente.”

Ela comenta ainda que a ação faz parte do projeto de descentralizar as atividades da Hemorrede, dando mais agilidade ao atendimento. “O treinamento foi bastante positivo, uma vez que já demonstra nossa evolução dentro da proposta da Hemorrede de descentralizar as ações do Hemocentro Coordenador e levar a qualidade do atendimento ao paciente às nossas unidades. Neste momento estamos aqui no Hemocentro Regional de Rio Verde e iremos estender a todos os Hemocentros Regionais.”

Um dos colaboradores da unidade de Rio Verde, o técnico de laboratório Claudemir Pereira de Souza, elogiou o treinamento. “Gostei muito do treinamento, foi excelente por conta de tirar dúvidas que a gente tem no dia a dia. Apesar de ser complexo, esclareceu muita coisa para gente, que não tinha esse conhecimento.”

Claudemir acompanhou ainda os dois outros treinamentos realizados. Um deles foi sobre a correta higienização das mãos. Após a lavagem, foi aplicado um produto e colocada uma luz negra para verificar se a higienização havia sido realizada de forma correta. “Eu fiquei surpreso porque, pra mim, tinha higienizado minhas mãos corretamente, mas logo que fez o teste não estava tão limpo. Então, vou tomar muito cuidado em relação a isso”, disse.

Outro ponto trabalhado foi a ginástica laboral, quando foram demonstrados exercícios que deveriam ser realizados pelos colaboradores. “A atividade laboral foi muito relaxante. Foi ótimo e deveria ter mais. Como sou plantonista, acho que vou fazer sozinho”, diz Claudemir. Sua colega, a atendente Jesuene Barbosa, também aprovou os exercícios, que teve, segundo ela, resultado imediato. “Já senti na hora a sensação de relaxar. Vamos adotar a prática. Dá a sensação de que o corpo está relaxando, de que estamos mais descansados.”




© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS