13/07/2021 - Crianças portadoras de hemofilia recebem kits da Abraphem no Hemocentro, em Goiânia



Ação busca levar mais conhecimento sobre a doença para pacientes e familiares por meio do jogo ´´Dominando a Hemofilia´´

O Hemocentro Coordenador Estadual Prof. Nion Albernaz reuniu pacientes hemofílicos de 6 a 9 anos no último sábado, 10 de julho, para fazer a entrega de kits doados pela Associação Brasileira de Pessoas com Hemofilia (Abraphem). Além de uma bolsa térmica para transporte de medicamentos e uma carteira de identificação do paciente, as crianças ganharam um jogo de tabuleiro, criado pela a Abraphem – "Dominando a Hemofilia". Muito empolgados, eles foram convidados, juntamente com seus familiares, para uma partida emocionante.

Yan Alves, 7 anos, foi o primeiro a jogar. Acompanhado pelos pais, Alan Peixoto e Valdirene Peixoto, ele foi logo se soltando e em alguns minutos completou a rodada, auxiliado pela psicóloga do Hemocentro, Livia Brito. A mãe disse que o jogo vai ajudar muito no aprendizado do filho sobre a doença. "Ele é muito tímido, mas acredito que brincando ele vai aprender muito mais, e a gente também". Valdirene conta que o filho já faz o acompanhamento médico no Hemocentro há três anos, e que no começo foi bem difícil porque ela ainda não sabia nem aplicar fator, mas que o apoio dos profissionais da unidade foi fundamental.

Curioso e fã de jogos de tabuleiro, Thiago Rodrigues, também desafiou a psicóloga em uma partida. Ele conta que durante a brincadeira aprendeu que precisa colocar compressas de gelo antes e depois de tomar vacinas. "É um jogo muito legal, agora vou jogar com minha mãe e minha irmãzinha em casa". Thiago pediu ainda para conhecer o novo Hemocentro, e acompanhado pelas diretoras geral e técnica da unidade, Denyse Goulart e Ana Cristina Novais respectivamente, fez um tour completo pelo prédio. Ao final, depois de fazer inúmeras perguntas sobre o funcionamento do Hemocentro, afirmou "Eu já confiava no trabalho de vocês, mas agora que conheci tudo, estou confiando ainda mais".

Para a psicóloga Livia Brito, o brincar com a criança é muito importante porque é desta forma que ela consegue expressar e entender o mundo. "Para criança, ter um jogo explicativo e ao mesmo tempo lúdico para entender a complexidade da hemofilia é muito válido, porque para elas será mais fácil compreender todas as informações sobre o que é a doença, da importância da adesão ao tratamento e também saber quais são os cuidados que elas precisam ter em situações de urgência e emergência", pontua.

Segundo a presidente da Abraphem, Mariana Freire, a parceria da associação com o Hemocentro de Goiás é muito importante e permite alcançar todos os pacientes de maneira abrangente e particularizada."A criação e envio deste material foi a forma que encontramos de mostrar aos pacientes que a qualidade do tratamento deles é importante para Abraphem. Esperamos que eles gostem e os utilizem como meio de favorecer a adesão ao tratamento", destaca.



© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS