11/11/2021 - HGG realiza webinar sobre a saúde do homem e o câncer de próstata



Evento faz parte da programação da campanha Novembro Azul na unidade de saúde

O Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG realizou nessa quarta-feira, 10 de novembro, o webinar "Novembro Azul – saúde do homem e o câncer de próstata", com o chefe do serviço de urologia da unidade, Théo Rodrigues. O movimento Novembro Azul teve origem em 2003, na Austrália, com o objetivo de chamar a atenção para a prevenção e diagnóstico precoce de doenças que atingem a população masculina.

No Brasil, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem - PNAISH foi instituída em 2009, e consolida as normas sobre as políticas nacionais de saúde do Sistema Único de Saúde, visando promover a melhoria das condições de saúde da população masculina brasileira, buscando contribuir, de modo efetivo, a redução da morbidade e da mortalidade dessa população, por meio do enfrentamento racional dos fatores de risco e mediante a ampliação do acesso às ações e aos serviços à saúde.

Durante o webinar, Théo reforça que os homens precisam tomar alguns cuidados básicos, principalmente após os 40 anos que são: verificação da pressão arterial, hemograma completo, dosagem da glicemia, dosagem do colesterol, testes de urina, atualização da carteira vacinal e verificação do perímetro abdominal e do índice de massa corpórea (IMC). "O homem adoece mais, ele bebe mais, fuma mais, tem índices maiores de obesidade e também tem uma taxa de mortalidade maior, por isso, a importância de se ter uma campanha voltada para saúde do homem."

Théo destaca que a campanha Novembro Azul deve ser voltada para conscientização dos cuidados integrais da saúde do homem, não somente física, mas também mental. "Precisamos ter uma atenção especial para o câncer de próstata, uma vez que ele é o 2º mais frequente entre os homens após os tumores de pele". O médico alerta que não é possível prevenir o câncer de próstata, por isso é importante o acompanhamento para que seja realizado um diagnóstico precoce. "Quando o diagnóstico é feito em um estágio inicial a chance de cura é em torno de 90%", esclarece.

O urologista reforça que, em sua fase inicial, o câncer da próstata tem uma evolução silenciosa. "Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata: dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite". Já na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

O diagnóstico é feito através da biópsia prostática por via transretal ou transperineal e guiada por ultrassonografia e/ou ressonância magnética. A indicação de biópsia depende do toque retal e valores de PSA. Já a escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após o médico e o paciente discutirem os riscos e benefícios de cada um



© IDTECH, Hospital Estadual Alberto Rassi/HGG, Hemocentro de Goiás - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS